Avaí volta a jogar na Ressacada

| 0 comentários
O torcedor do Avaí poderá matar a saudade da Ressacada. A diretoria do clube confirmou que a partida da sexta rodada contra o Brusque, no dia 20/02, será na casa avaiana. Até lá o gramado da Ressacada estará pronto para receber partidas. Depois de problemas com o campo na temporada passada, os cartolas decidiram investir no estádio, trocar a grama e mexer na drenagem.
Neste início de temporada, o Leão já levou seu mando de campo para Chapecó - onde recebeu o Grêmio pela Primeira Liga -, e Palhoça, quando venceu o Metropolitano. Nesta quinta-feira, às 19h, o Avaí enfrenta a Chapecoense no Estádio Aníbal Torres Costa, em Tubarão. via Diário Catarinense

Faltou a garra do Leão

| 0 comentários
Bobeira - O Avaí não repetiu a boa atuação do jogo contra o Metropolitano e só empatou fora de casa com o Camboriú. Ah! E entrou naquela oscilação já prevista por Raul Cabral, lembram? O empate foi reflexo de um jogo morno. Parecia ressaca de carnaval.
Dos jogos que assisti no final de semana foi o que menos gostei. Fraco tecnicamente e o empate em 1 a 1 refletiu a pouca qualidade da partida. Agora resta ao Avaí torcer por tropeços dos adversários diretos nas próximas rodadas, pois perdeu a chance de já entrar na briga pela ponta.
Faltou a garra do Leão - E embora estivesse com 10 em campo a partir da expulsão de Willian, o Avaí cresceu em campo e comandou as ações. Era de se esperar que a partir da expulsão do atleta do Camboriú, igualando o numero de jogadores no gramado, o Avaí crescesse e partisse com tudo para cima. Mas o jogo foi aos poucos se desenhando para o empate.
O resultado não agradou a nação azurra e demonstrou que ainda há muito trabalho para a equipe poder brigar pelo titulo. Diego Jardel, Romulo e Renan continuam sendo os principais do time. Já a lateral esquerda com Vítor Costa ainda está em débito. Agora é correr atrás e recuperar os pontos perdidos contra a Chapecoense em Tubarão. Claudionir Miranda para o Infoesporte

Melhores momentos Cambura 1x1 Avaí

| 0 comentários

Fala, Diego Jardel

| 0 comentários
"A preparação física que a gente fez na pré-temporada foi em cima disso, sabendo que em  fevereiro a gente ia ter jogo a semana inteira. Acho que o grupo está trabalhando em cima disso. Para suportar toda essa série de jogos pela frente. Nosso time cansou um pouquinho, ainda mais com a perda do William. Isso dificultou um pouco o nosso jogo. Se merecesse um vencedor, seria o Avaí. Principalmente com a reação depois do gol que a gente sofreu." Diego Jardel para o Globo Esporte

Raul Cabral defende William

| 0 comentários
"Achei que foi um lance de jogo. Tem a questão do perfil do jogador. Se a arbitragem fizer uma leitura, sabe que o William não é um jogador de agressão. Ele acertou sem intenção e acabou expulso. Entendo a arbitragem, mas sei que não é do perfil do William algo assim. Esse lance foi uma questão de interpretação. Mas a gente não pode transferir o resultado da partida para os outros".
Experiência - "Temos uma equipe muito jovem, e eles demandam experiência e vivência. Como a comunicação, ocorreram algumas falhas. O lance do gol do Camboriú foi uma falha de comunicação. Vejo que esse é o principal ponto de erros dentro do nosso grupo. Falhas que são normais. A gente sabia que ir ser normal, dentro de uma oscilação da equipe."
Questão física - "A gente está procurando fazer o monitoramento de atleta para atleta. Saber como estão se comportando. A gente tem o controle dos testes físicos. O departamento me passou que seria uma situação preocupante no início do ano, com uma quantidade grande de jogos. Tem que ter paciência, talvez ter que tirar de um jogo e não perder por mais tempo." via Globo Esporte

Avaí empata com Camboriú

| 2 comentários
Depois de golear na última rodada do Catarinense, o Avaí voltou a decepcionar seus torcedores. Neste domingo, o Leão foi ao Estádio Roberto Garcia enfrentar o Camboriú e não saiu de um empate por 1 a 1. Badé abriu o placar para os donos da casa e Diego Jardel empatou para os visitantes.
Com o resultado, o Avaí chegou a quatro pontos e assumiu a terceira posição, atrás de Chapecoense e Criciúma. O Camboriú, por sua vez, segue na lanterna, apesar de ter somado o primeiro ponto na competição. Em três rodadas, o Tricolor perdeu duas e empatou uma.
O jogo - A partida começou equilibrada, com muita disputa pela bola no meio de campo. Logo com cinco minutos de bola rolando, o Avaí por pouco não abriu o placar. Renato cruzou para a área, o goleiro Gabriel se atrapalhou e quase mandou dentro das próprias redes. O Leão dominava a posse de bola enquanto o Camboriú se organizava na marcação.
Mesmo firme na marcação, os donos da casa não abriam mão de atacar e tiveram uma boa chance na marca de 14 minutos. Vitor Hugo subiu mais do que a zaga do Avaí e cabeceou no canto. Renan se esticou todo e fez a defesa.
O jogo ganhou outra dimensão quando William, a principal esperança de gols do Avaí, foi expulso, aos 18 minutos, após disputa de bola com Vitor Hugo. O árbitro entendeu que o atacante agrediu o zagueiro e por isso, mostrou o cartão o vermelho ao camisa 9 do Leão.
Com um a mais, o Camboriú partiu para cima do Avaí, que tentou a todo custo não abdicar do ataque. O Leão chegou a ter quatro escanteios em sequência, mas viu o adversário marcar aos 38 minutos, com Badé. O lateral pegou sobra na entrada da área e acertou um belo chute para abrir o placar.
O Camboriú festejou muito o gol marcado e se descuidou na parte defensiva. Dois minutos depois de ter marcado, o time cedeu um pênalti para o a Avaí e ainda teve um jogador expulso. Romulo invadiu a área, driblou o goleiro e acabou derrubado por Alessandro Lopes, que recebeu o cartão vermelho. Diego Jardel cobrou a penalidade com categoria e deixou tudo igual na partida.
O segundo tempo foi marcado pelo equilíbrio, já que as equipes estavam novamente com o mesmo número de jogadores em campo. O Camboriú chegou primeiro. Aos 14 minutos, Cadu subiu mais alto que do que a zaga do Avaí e testou com perigo. O Leão respondeu aos 19, após cobrança de escanteio. O lateral direito tricolor Thoni salvou duas bolas em cima da linha, evitando o gol.
O Avaí teve outra boa chance aos 31 minutos. Diego Jardel cabeceou na trave e Rômulo se jogou para finalizar. A bola passou pelo goleiro, mas Vitor Hugo evitou o gol. O Camboriú não demorou a responder. Aos 34, Eurico pegou rebote da entrada da área e obrigou Renan a fazer grande defesa. Mesmo com as tentativas, a igualdade permaneceu no placar. via Gazeta Esportiva

A musa do adversário

| 0 comentários
Laura Lopes, miss Balneário Camboriú e SC 2014, que deve torcer para o time da cidade ao lado.

Para trazer a vitória de Camboriú

| 0 comentários
Camboriú e Avaí entram em campo às 19h30 de hoje no estádio Robertão para cumprir a terceira rodada no Campeonato Catarinense. Apenas três pontos separam as duas equipes, o que serve para situar o Avaí na 5ª colocação e o Camboriú na lanterna, coisa típica de início de competição, diferença que oxalá será aumentada com uma vitória azurra ao fim destes 90min.
Após a estreia com derrota diante do Criciúma, a goleada do meio de semana sobre o Metropolitano trouxe novo ânimo não só para o time, mas também para o sofrido torcedor avaiano. Engrenar mais um sucesso pode fazer uma desejável diferença no apronto para enfrentar a Chapecoense no próximo dia 11, em Tubarão, aí sim, um confronto crucial para as pretensões no Delfinzão 2016.
Raul Cabral deve repetir a mesma formação de quinta-feira, zero em termos de lesões e suspensões, então tem mais é que dar conjunto e ritmo de jogo para os seus 11 de confiança. Não é hora para testes. Tem que formar o grupo base e pronto. Tudo aponta para Renan; Renato, André Santos, Gabriel, Vitor Costa; Judson, João Filipe, Rafinha, Diego Jardel; Romulo e William

A semana do Avaí

| 0 comentários
Goleada: Pela segunda rodada do Estadual, o Avaí goleou o Metropolitano por 4 a 0 e conquistou os três primeiros pontos no Campeonato Catarinense. Diego Jardel abriu o placar, Rômulo marcou o segundo, Diego Jardel fez o terceiro do Leão e William decretou a goleada.
Raphinha atacante: Quem deixou a Ressacada nesta semana foi o atacante Raphinha, um dos garotos que subiram das categorias de base para o profissional. Raphinha foi transferido para o Vitória de Portugal. O Avaí detinha 50% dos direitos econômicos do atleta e vendeu 45%.
Rafinha volante: O volante Rafinha, apresentado na semana passada, ainda aguardava a regularização para poder estrear. O atleta teve no nome publicado no BID na terça-feira (02) e estreou na quinta, pela segunda rodada do Catarinense.
Concentração: O Avaí adotou um esquema diferente de concentração para a partida contra o Metropolitano, na quinta-feira (04). Os atletas foram liberados na noite de quarta e se apresentaram no dia do jogo na Ressacada, de onde seguiram para Palhoça. Ainda não está confirmado se isso se estenderá para os demais jogos do Catarinense com mando do Leão.
Toshi: Depois de dois anos treinando na Ressacada, o atacante Toshi estreou com a camisa do Leão. Durante a partida contra o Metropolitano, a torcida pediu a entrada do japonês. Toshi mostrou velocidade e poderio ofensivo pelo lado direito e auxiliou no quarto gol avaiano. via Infoesporte

Uma imagem

| 0 comentários
Avaiano João Roberto arrebentando nas ondas da paixão.

Sob o comando de Diego Jardel

| 0 comentários
Mais do que as alterações promovidas por Raul Cabral, que deram certo e foi premiado pela vitória, ou os belos quatro gols no Metropolitano, o apoio da torcida, novamente em campo neutro, gostaria de ressaltar o comando e a reação interior do meia Diego Jardel, manezinho de Águas Mornas.
A comemoração dele batendo no escudo, indo ao encontro da torcida, festejando com os companheiros, ralando, jogando o que não havia jogado ainda, demonstram que Diego Jardel quer mais, quer fazer história no Avaí. Diego Jardel veio com moral do Botafogo, mas precisa marcar suas raízes aqui. Esse é o teu momento, chegou a hora.
Que Diego Jardel possa ser o comandante do time dentro de campo neste campeonato. Tem qualidade, é habilidoso, está querendo. Falta para ele um entrosamento com William, para um consagrar o outro, virar o Casal 20 do Avaí. Unindo a qualidade no passe do Diego Jardel e a fome de gol do William, quem vai ganhar é o todo, a parte coletiva, o Avaí.
Uma vitória que o clube, a torcida e o time precisavam. Por Polidoro Junior

Mudanças na gestão do Avaí

| 0 comentários
O Avaí Futebol Clube anuncia hoje as mudanças realizadas em sua gestão, com alterações no organograma e incorporando novos nomes ao grupo de trabalho, objetivando se adequar à nova realidade do mercado e do futebol brasileiro em 2016. A meta é buscar o retorno à Série A.
Entre as novidades, assume o Departamento de Negócios Rafael Zanette, administrador de empresas formado pela UFSC, especialista em Gestão de Marketing no esporte e ex-gerente de marketing do Palmeiras. O jornalista Carlos Alberto Ferreira, com larga experiência e passagens por diversos veículos, assume a chefia da Assessoria de Comunicação Institucional.
Também passam a atuar no clube Roger Faria, administrador e gestor de negócios financeiros, diretor de Planejamento, Edson Mortiz, assessor especial da presidência, Marcelo Bastos Petrelli, assessor de Projetos Especiais para captação de recursos, Alexandre Lapagesse da Silveira, relacionamento com consulados do clube e Jefferson Sodré, relacionamento com torcedores.
Estes novos nomes se juntam aos demais que já estavam em atividade no clube desde o início do ano nas diversas áreas e serão suporte para a gestão do presidente Nilton Macedo e o atingimento das metas do clube. Confira aqui o novo organograma do Clube. via site oficial Avaí FC

As impressões de Raul Cabral

| 0 comentários
"Diego Jardel - Como eu tinha falado, a gente fez algumas adequações, mas não mexeu muito, a ideia era dar mais liberdade ao meia (o camisa 10), que não conseguiu pisar na área contra o Criciúma, e tivemos dificuldade. Hoje o (Diego) Jardel finalizou umas quatro bolas, deu assistência, e acho que criou um pouco mais. Então temos que procurar dentro da formatação de elenco, buscar o que tem de melhor, no encaixe de peças. As vezes sai um jogador que está bem, mas não está encaixado dentro do que a gente pensa para o jogo. 
Estreia de Rafinha - O Rafa é um jogador extremamente dinâmico,  um volante que faz diversas funções pela qualidade, pode ser primeiro volante, jogar de segundo, até como terceiro homem de meio, como meia. No Fluminense chegou até a jogar aberto como ponta. Dentro do que pedimos, ele fez bem, deu posse de bola para a equipe e mais pressão na marcação no meio de campo.
Toshi - Entrou bem. Foram poucos minutos, foi pouco tempo, mas a situação dele é parecida com a dos outros meninos. É um atleta que não jogou, não tem sequência, que temos que soltar aos poucos, tem que saber o momento. Não adianta botar na fogueira, ele não está no pais dele, tem a questão de adaptação ao modelo de jogo, se a gente bota a vai mal, acaba queimando, então vamos soltar ao poucos. Temos outras peças de fora, de qualidade: o Yuri que não jogou ainda, é um baita jogador, tem jogadores fora até do banco, caso do Wilker, que conheço da base, foi artilheiro E não teve oportunidade ano passado, mas vem treinando bem. Tem o Lucas Fernandes, atletas que temos que ter paciência. A pressão é menor ganhando de 3 a 0, ele (Toshi) entrou bem. 
Novamente sem a Ressacada - Não é uma situação de escolha, a gente sabe que a torcida trabalha junto, quer estar junto, e acho que se for em Tubarão, como estão falando, creio que ela (torcida) vai também, se for aqui (Palhoça) vai estar, e na Ressacada, claro que também. 
Padrão de jogo - Se for olhar o padrão de movimentação é mesmo dos outros jogos, a mudança foi o meia na beirada. Nos outros jogos foram três atacantes. A questão do João Filipe e Rafinha (juntos) era uma questão de mais experiência, para não ficar jogando a garotada no fogo o tempo inteiro. Depois, quando a equipe engrenou, ficou mais solta, ai colocamos o Caio (César), ele foi muito bem, e mantivemos o padrão. O sistema pode varias, temos duas ou três variações, eles precisam se adaptar e estão se adaptando aos poucos." via Globo Esporte

Miguel comenta a goleada do Avaí

| 1 comentários

Fala, Raul Cabral

| 0 comentários
"Estamos em montagem, com atletas jovens como o Gabriel, o Caio (César), o Chapecó, dos meninos, sabemos que temos que ter mais paciência em com eles em relação ao modelo de jogo, encaixe, a adaptação. Hoje o jogo foi bom, mas a equipe vai continuar oscilando, não vou enganar a torcida, as vezes para cima como hoje, as vezes para baixo como o primeiro tempo em Criciúma.
Temos que ter paciência para ir soltando os meninos aos poucos, e os atletas que estão chegando temos que ter equilibro por conta da parte física, não adianta soltar tudo de uma vez. Temos que tomar cuidado para não queimar ninguém.
A Ideia é que a equipe jogue, queremos propor uma situação de jogar com bola, quando tiver sem  ter pressão na marcação, mas quando tiver a bola não se livrar, valorizar, esperar o melhor momento de atacar. A gente sabe que é uma equipe jovem, vai errar em alguns momentos, vai acontecer, mas o mais importante é a personalidade dos atletas de quererem jogar.
Eles mostraram em Criciúma isso, mas faltou chegada na frente, hoje não faltou e tivemos um jogo melhor." Coletiva de Raul Cabral via Globo Esporte

Vitória com autoridade

| 0 comentários
Uma importante vitória essa de ontem. Uma goleada de 4x0 convincente, mostrando autoridade e apontando para dias menos sombrios do que aqueles temidos pelo torcedor. O time foi organizado, jogou de forma coesa e Diego Jardel desequilibrou o confronto chamando a responsabilidade para si, os passes para os companheiros e os dois gols para o time como um todo.
As alterações de Raul Cabral surtiram efeitos, João Filipe e Rafinha deram mais consistência defensiva ao meio de campo, setor que capengou na derrota para o Criciúma. De quebra, tivemos a entrada em campo do atacante Toshi, momento épico aguardado por 100% da nação azurra.

Avaí goleia em Palhoça

| 0 comentários
Na noite de ontem o Avaí não deu chances ao Metropolitano. Com problemas financeiros e derrota para o Criciúma na estreia, o time da capital catarinense chegou pressionado para a partida em Palhoça, já que a Ressacada passa por reforma, mas conseguiu passar por cima da crise.
Em campo, Diego Jardel, Romulo e William comandaram a goleada por 4 a 0 sobre o novo time de Léo Moura, que estava no estádio mas não pode ter gostado do que assistiu. Diego Jardel marcou dois, Romulo um, e William fechou já no final da partida, que também foi marcada pela estreia de Rafinha, volante emprestado pelo Flu, e o debute de Toshi, japonês que está há dois anos no clube.
Japonês em campo - Toshi está há cerca de dois anos em Florianópolis, mas nunca havia jogado oficialmente pelo clube da capital. Viajava constantemente com o time, e tinha marcado duas vezes na pré-temporada, mas nunca de forma oficial. Mas este dia 4 de fevereiro foi de Carnaval antecipado para o jovem japonês. Entrou aos 37 do segundo tempo, no lugar de outro estreante, Rafinha, a torcida foi à loucura e ainda aplicou uma caneta no adversário.
Craque do jogo - Se tinha craque na arquibancada, o cara do jogo foi o camisa 10 do Leão da Ilha. Sem Marquinhos, capitão e ídolo do Leão, as esperanças do torcedor avaiano ficam no pé esquerdo de Diego Jardel, que retornou de empréstimo depois de ser campeão da Série B pelo Botafogo, e mostrou muita bola em Palhoça. Participativo e destribuindo o jogo, marcou dois gols e quase comemorou o hat-trick, mas a cobrança de falta ficou no travessão. via Globo Esporte

A musa do adversário

| 0 comentários
Patrícia Sens, modelo blumenauense, esperamos que torcedora do Metropolitano.

Concentração mais flexível

| 1 comentários
Se por medida de economia ou de um acorde de transferência de responsabilidade, o fato é que o Avaí adotou um novo modelo de concentração para seus atletas. A rapaziada foi liberada ontem a noite, cada um foi para sua casa (assim esperamos) e o reencontro se deu às 11h30 de hoje. Rumaram todos juntos para um hotel em Palhoça e de lá só sairão para tomar o caminho do Estádio Renato Silveira. Se o elenco queria ser tratado como de adultos, eis aí a oportunidade de mostrarem suas virtudes profissionais e fazerem jus a esse voto de confiança do clube.

Avaí de orelhas em pé

| 0 comentários
Começar um pré-jogo de uma partida do Avaí com expressões como "Vindo de derrota; Em meio aos problemas financeiros; Com protesto da torcida", vamos e venhamos, é cair na vala comum das editorias de esporte dos chamados profissionais de imprensa.
Não começando desse jeito (mas já tendo começado desse jeito), as reformas do gramado fazem o Avaí alugar o Renato Silveira nesta noite, buscando a reabilitação de sua estreia negativa no Campeonato Catarinense. O horário das 19h30 é péssimo, haja vista o trânsito caótico da BR 101 entre Florianópolis e Palhoça nesse horário, razão pela qual podemos ter menos do que os dois mil ingressos disponibilizados para a nação azurra.
Um empate com os reservas do Grêmio pela Copa Sul-Minas-Rio e a derrota para o Criciúma na primeira rodada do Delfinzão já são o suficiente para deixar o microcosmo avaiano de orelhas em pé. Uma vitória hoje é fundamental para estancar aquilo que pode se tornar o início de outra fase de baixo astral na Ressacada, coisa que todos já estão de saco completamente cheio.
Raul Cabral vai adicionar mais de idade ao time, já que queimar essa promissora gurizada não é um bom negócio. Por isso Caio César e Lucas Fernandes cedem suas vagas para João Filipe e Rafinha, o que deve proporcionar mais consistência na meiuca avaiana. Assim, os 11 serão: Renan; Renato, André Santos, Gabriel e Vitor Costa; Judson, João Filipe, Rafinha e Diego Jardel; Romulo e William.