Não, um empate não serve

|
Essa é uma daquelas partidas em que há bem pouco o que acrescentar em tudo o que foi dito em seus longos dias de comentários pré-jogo. O Joinville chega completo e empolgado para mais um encontro na Ressacada, de sangue doce com sua vice-liderança em seus 57 pontos conquistados, e aposto que Hemerson Maria não quer muito mais que um empatezinho estabilizador.
Já o Avaí está no G4 e, por mais estranho que possa parecer, com a corda no pescoço. Não, um empate não serve. Jogando dentro de casa, com apenas dois pontos a frente do Ceará, o quinto colocado, e ainda em meio a turbulência de uma queda de rendimento só comparável ao que aconteceu no fatídico e vergonhoso final do ano passado, não, um empate não serve.
Eu e muitos avaianos acreditam que o acesso do Leão da Ilha se decide a partir das 19h30. Toda a temporada de 2014, até agora absolutamente improdutiva, está nas mãos, minto, nos pés e nas cabeças de Geninho e seus jogadores de confiança nesse compromisso. Anjos e demônios, heróis ou mercenários, craques ou perebas, isso se definirá hoje na boca do torcedor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário