O pesadelo de 2013 está de volta

|
Como já era esperado, as generosas dimensões do gramado do Serra Dourada ajudaram em muito para que Atlético e Avaí tivessem espaços de sobra para desenvolverem o futebol que bem entendessem. E as equipes jogaram abertas, criaram oportunidades de gol à reviria, sendo que em toda a partida os rubro negros do Centro-Oeste foram os mais ambiciosos pelos três pontos.
O "gigante" Primão - Foto André Costa AE
O Avaí sentiu pelos cinco desfalques deixados em Florianópolis, mas sobretudo as cobranças certeiras de bola parada por parte de Marquinhos Santos. A única jogada mortal do time de Geninho não pôde ser executada no jogo de ontem com aqueles resultados que nos acostumamos a acompanhar pela TV ou ao vivo na Ressacada.
Apesar das más atuações de nossos alas, de um sumido Diego Felipe e dos pouco eficientes Bruno Mendes e Anderson Lopes, a partida chegou ao final dos 90min num empate que parecia agradar o técnico do Avaí. O Dragão de Goiás, com ínfimas possibilidades de acesso, preferiu não se conformar com um ponto que nada lhe acrescentava e decidiu decidir (sic) a peleja nos 5min de acréscimo através de seu "gigante" saído do banco de reservas.
Com estrelas do naipe de Luciano Sorriso, Pedro Bambu e Mateus Caramelo, coube ao atacante Tiago Primão, reserva de 1.50m que entrou na etapa final, fazer o placar da vitória do Dragão em apenas dois minutos, quando o responsável pelas pombocas do estádio já se preparava para desligar os disjuntores da iluminação. O primeiro, de cabeça e sem precisar sair do chão (lembre-se, 1.50m), e o segundo dois minutos depois, aproveitando-se de uma saída de bola atrapalhada do goleiro Vágner e fazendo de cobertura quase do meio de campo.
No frigir dos ovos das últimas quatro rodadas, chegamos à preocupante constatação de uma grande queda de rendimento do Avaí. Com quatro adversários meia-boca pela frente (Náutico, ABC, Icasa e Atlético/GO), os meninos barbados da Ressacada conquistaram apenas três pontos, apresentaram um aproveitamento pífio de 25%, pode perder a terceira posição para Joinville ou Ceará, pega agora a líder Ponte Preta em Campinas e corre o risco de sair do G4. Não, não é impressão sua, aquele filme de terror quer se repetir: o pesadelo de 2013 está de volta.

2 comentários:

Unknown disse...

Bocao na lateral direita, ja sabia que perderiamos...

Sérgio disse...

Falta de ambição, disseste tudo, atacantes que não chutam a gol e, quando chutam, a bola passa a 2 km de distância da trave.

Postar um comentário