Primeiros sinais do pecado original

|
Não era um jogo complicado. Pelo menos não quando de um lado estava o vice-líder e no outro um time que luta apenas para não cair. Mas como numa novela mexicana, onde os rompantes de emoção se sucedem à cada capítulo, eis que novamente o pequeno Davi venceu o gigante Golias.
Olhando isoladamente para aqueles desastrosos 90min de ontem onde o Avaí perdeu de virada para o ABC de Natal, não chega a ser motivo para que o torcedor acredite que o acesso já foi pro brejo. Calma lá. O Maior de SC ainda está no G4, mantém dois pontos de distância do quinto colocado e depende exclusivamente de suas próprias forças para atingir o grande objetivo na temporada 2014.
Entretanto, não há como não ver acender a luz amarela das tensões ao juntar no mesmo pacote a segunda derrota consecutiva para um adversário inexpressivo, cair do primeiro para o terceiro lugar e ver o Ceará diminuir mais um pontinho a sua distância dos abastados Top 4 da tabela. Nem vamos comentar o futebolzinho mixuruca do Avaí nestas derrotas, com desorganização escancarada, chutões pra frente e pra trás, erros de passes bobos, pênaltis infantis... chega!
Outro tropeço - Foto Frankie Macone
Já se ouvem as frases "Não há motivo para desespero... agora é trabalhar... tem que manter a tranquilidade... não tem nada perdido". Aliás, sobre essa última frase que me causa arrepios, de "nada está perdido" em "nada está perdido" é que testemunhamos perdas cinematográficas de uns anos para cá. Que o pecado original de 2013 não se repita.
Sobre isso Geninho falou ontem: "O torcedor tem razão e estar desconfiado, ele vive um fantasma do ano passado. A nós compete vencer e esse grupo tem moral, está consciente do que fez no ano passado e vai fazer de tudo para não se repetir. Vamos tentar vencer para devolver essa confiança, o torcedor merece (...). Mas a cabeça hoje do grupo é diferente, a situação do clube e temos que ter tranquilidade."
Geninho sabe que a memória do torcedor está muito fresca, ainda não se curou do trauma daquele circo armado na reta final da série B do ano passado e já começa a temer pela replay de um dos momentos mais vexatórios da história do clube. Salários atrasados que estavam, houve um escape para salvar a pele dos jogadores, mas agora, com os vencimentos em dia, esperamos que nenhum outro conto da carochinha coloque em risco um projeto que está bem encaminhado. Basta ter vergonha na cara, porque não há quatro clubes melhores que o Avaí nesse momento. Chega de complicar o simples.

4 comentários:

Sergio Nativo disse...

Como se curar do trauma daquele circo armado na reta final da série B do ano passado, se o time nesses dois últimos jogos repete o mesmo enredo, justo na hora que não devia? Se esse ano com tudo a seu favor não subir, vou ter que concordar com os pessimista e aqueles que falam em conspiração. Sera que a posição do Avai dentro do G-4 é tao enganosa como foi a posição de Marina Silva nas vergonhosas pesquisas pela preferencia do eleitorado para presidente do Brasil?

Luciano Valentim Silva disse...

Favor corrigir o texto: não mantém 4 pontos, mas apenas 2 do quinto colocado, o Ceará, que só não empatou na pontuação porque empatou a última. Estamos em situação perigosíssima, e pra piorar os alvinegros podem vir a dominar completamente o G4, contando com o tricolor Joinville que também tem um vermelho na bandeira. Tá feia a coisa, depois do próximo jogo aparentemente (??) fácil, tem duas pedreiras fora de casa, o complicado Goianiense e a Ponte. Rumo ao fundo do poço, temos que agir agora!!

Unknown disse...

LAMENTAVEL MESMO, JOGOU PORCARIA NENHUMA, MEIO PRA FRENTE NULO, LATERAIS FRACOS, PRINCIPALMENTE O BOCAO, O BRUNO MENDES ENTROU MAS NAO FOI NENHUMA BOLA PARA ELE NA AREA, E PRA ACABAR O JUIZ DA BAHIA (PQP) QUE O MIGUEL FALOU BEM, NAO PRECISO DIZER MAIS NADA....

George Porto disse...

E se voltasse a atrasar salários?

Postar um comentário