Avaí em modo de continuidade

|
Se alguém ainda tinha dúvidas dos erros de recrutamento e seleção de Nilton Macedo, próximo de completar um ano a frente do Avaí, desde ontem já pode cravar a palavra certeza. No final de 2013, após a demissão do improdutivo Marcelinho Paulista, Júlio Rondinelli foi alçado de Coordenador de Futebol para Gerente de Futebol da temporada 2014. Passou a ter ao seu lado Chico Lins, que tinha em seu expertise o bom relacionamento com os boleiros e ser "bombeiro de vestiários".
Com baixa produtividade, Rondinelli soube de sua dispensa pela imprensa e logo depois se apressou a enviar sua carta de demissão para o presidente do Avaí, que tentou convencê-lo a ficar, mas no final aceitou o pedido. A nota oficial do dia 8 de fevereiro se despedia do ex-homem forte do futebol dizia que "Rondinelli foi um funcionário dedicado, profissional e competente e contribuiu diretamente para resolver as soluções financeiras do clube durante este período, em especial, no ano de 2013 e no início da temporada 2014". O sujeito dessa oração acaba de cair com o Criciúma, vejam só.
Foto Cristiano Estrela - Agência RBS
A batuta da gerência de futebol e a coordenação de futebol ficaram acumuladas nas mãos de Chico Lins. Pouco conhecedor do mercado, o que pouco importava, já que o Avaí não tinha capital para contratações, mas com trânsito fácil entre os boleiros, Chico seria o homem certo, no momento certo e para a função certa. Infelizmente a estrutura do clube possui ranços que se acumularam nos últimos anos e, ao que tudo indica, Chico também está sendo devorado por ela. Ontem assumiu seus erros nas contratações, principalmente em relação ao setor de ataque, e já se especula sua saída caso o Avaí confirme sua metas às avessas em relação ao acesso para a série A de 2015.
Retornando ao início, confirma-se que os movimentos de Nilton Macedo relacionados ao Departamento de Futebol foram equivocados. Se por ter contratado gestores de futebol que não souberam dar conta do recado ou porque não lhes forneceu as condições mínimas necessárias para desempenharem suas funções - aposto nessa segunda - o presidente mantém em modo de continuidade a tradição de se acercar de profissionais que pouco agregam para o sucesso da instituição. O que o time faz em campo é apenas consequência, isso todos nós sabemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário