Ontem teve marmelada, sim senhor

|
Talvez o placar de 3 a 0 possa ter surpreendido alguns, mas a derrota do Avaí era uma possibilidade absolutamente dentro da normalidade de um time que vem envergonhando o seu torcedor desde a 27ª rodada. Ontem não foi diferente, perdeu bem perdido, não jogando um futebol digno sequer de série C e entregando um dos acessos mais encaminhados da história do campeonato de pontos corridos. Mesmo ganhando quatro pontos dos últimos 27 disputados, acredite ou não, o Avaí ainda tem chances. Logicamente que são microscópicas, ninguém mais acredita, mas tem.
A cereja desse bolo veio na entrevista de Marquinhos após a partida escancarou que entre as declaração de Chico Lins, que acusou a presença de jogadores não comprometidos com o clube que lhes paga salários e Geninho, que negou o fato de maneira enfática, não era o Gerente de Futebol que estava vendo chifre em cabeça de cavalo. Abaixo as palavras deles:
Marquinhos - "Não tem o que dizer. Não vamos enganar o torcedor. O torcedor tem que cobrar. Tem que dar nome, porque não se fala em nome e nessa hora estoura em dois ou três. Vocês (da imprensa) sabem quem é. Se fosse eu e o Eduardo já tinham falado. Vocês sabem quem é. Não adianta ter motivação para o acesso e o resto do grupo não ter."
Geninho - "Não concordo com o (não) comprometimento, acho que faltou qualidade, é diferente. Faltou competência na hora de decisão, faltou tranquilidade, faltou ter “Culhão” na hora da decisão, mas não faltou comprometimento. Acho que o Marquinhos falou muito na hora da emoção. Quem critica abre chance para ser criticado. Todos nós temos telhado de vidro, então tem que ter cuidado.  Acho que tem que ter cuidado com o que fala. Tivemos chance e não fizemos. É simples".
Marquinhos é o capitão do time do Avaí, não o coordenador das vidas pessoais e profissionais de seus companheiros de equipe. Quem já devia ter dado os nomes das "laranjas podres" do grupo (que Geninho afirmou não existirem) e os afastado por indisciplina eram o técnico ou o Gerente de Futebol. Sabedora dessa situação de falta de comando, a diretoria já deveria ter tomado uma atitude. Mas o que mais me espanta nisso tudo é ver torcedores esclarecidos pedindo a dispensa de todo elenco e nada sobre quem o formou e menos ainda sobre quem contratou aquele que o formou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário