Para continuar vivo

|
Interessante as declarações dos jogadores do Avaí afirmando que o compromisso desta noite com o Oeste é pedreira, que o time não terá vida fácil. Balela de quem não é lá muito afeito a essa palavra, compromisso, e sabe que o adversário é uma das piores equipes do campeonato. Atualmente na zona de rebaixamento, o sonho deles é sair da Ressacada com um pontinho na mirrada bagagem.
Garra, pelo menos hoje - Foto AFC
Independente disso, o que o torcedor avaiano espera é que esse grupo de jogadores que primeiramente se notabilizou por uma sequência invicta de 12 partidas na série B, estanque a sangria de pontos das últimas sete rodadas, onde com muito "esforço e profissionalismo", conseguiram a façanha de sair do G4 quando o acesso estava na mão. Ninguém espera um bom futebol, não desses dois times, mas que pelo menos o Avaí vença, retorne ao G4 e fique torcendo por um tropeço do Atlético/GO diante do Ceará. Será que é pedir demais, senhores boleiros do Carianos?
Como já comentado aqui anteriormente, Geninho não poderá contar com Bocão e Eduardo Costa, suspensos, o que de certa forma arruma aquilo que não vinha dando certo na lateral e meia. Marrone e Antonio Carlos ocupam as vagas e João Filipe é deslocado para a meiúca. Precisamos de força na marcação e velocidade nas arrancadas para não permitir que o Oeste venha a ser o algoz do Leão da Ilha no que resta de esperança para salvar a temporada. Ainda dá, a missão é possível e tudo depende basicamente do elenco realmente querer. Que não repitam o fiasco de 2013.
Cozinha organizada, é partir para cima e fazer um golzinho, de bunda e aos 48min, não tem problema, mas que seja o da vitória. Para isso os 11 do Avaí devem ser Vagner; Marrone, Pablo, Antonio Carlos e Eltinho; João Filipe, Eduardo Neto, Diego Felipe e Marquinhos; Anderson Lopes e Héber.

Nenhum comentário:

Postar um comentário