Competência e um pouco de sorte

|
Rômulo Balbinotti - Repórter da RIC Record e Rádio Record AM, Florianópolis - "Organização, competência e um pouco de sorte. O Joinville, por exemplo, se preparou para esse momento. Saiu da Série D e foi subindo degrau por degrau, com organização e transparência na sua administração. A Chapecoense, que viveu algo parecido, paga rigorosamente em dia e faz uma grande triagem na hora de contratar algum jogador. Ou seja: o risco de errar fica pequeno. O Avaí subiu sem apresentar um bom futebol. Subiu com alguns méritos, mas também por incompetência dos adversários, que não souberam aproveitar os vacilos da equipe de Geninho ao longo da Série B. Aqui em Santa Catarina, cada região abraça o seu clube, o que torna o futebol super descentralizado, diferente do RS, por exemplo. É um estado rico e que prega muito pela organização. Os clubes não rasgam dinheiro, não fazem loucuras e costumam pagar os salários em dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário