O Avaí que volta no tempo

|
Até o gol de pênalti Marquinhos e aquela forcinha de Icasa e Santa Cruz, vamos e venhamos, o ano do Avaí estava merecendo uma nota abaixo da média em termos de futebol e negócios. Praticamente nada estava dando certo, com alguns jogadores contratados de olhos vendados, além de um fraco aproveitamento nos negócios que envolveram arrecadação de verbas.
Problemas facilmente explicáveis pelas palavras do presidente do clube, que sempre deixou claro não entender nada de futebol e trouxe para apoiá-lo o bom-de-vestiário e ruim de mercado Chico Lins, e ainda pegou um clube com uma imagem meio caidinha entre o empresariado local, estadual e nacional.
Com a conquista do acesso muitas mancadas serão enterradas, como a perda do patrocínio da Caixa, o constrangimento pelo contrato assinado e não cumprido pela ICT e mais a atabalhoada campanha AgoraAvaí que, essa prefiro não comentar. Trocando em miúdos, uma sequência de erros em termos de business, mas que foi relativizada pela chegada dos R$ 8 milhões em desapropriações do Estado.
Entretanto, conhecendo-se os caminhos que vitimaram os torcedores e o próprio clube, os primeiros movimentos da diretoria apontam para uma retomada do relacionamento. Ao não aumentar os preços dos ingressos e das mensalidades para a temporada 2015 e ainda convidar os sócios para participarem da próxima reunião do CD, fica a impressão de que os cartolas aprenderam a lição e decidiram voltar no tempo. Aos bons tempos onde todos sempre eram bem-vindos à sua segunda "casa".
Quero crer que ações paralelas serão implementadas para que esses não aumentos não prejudiquem o caixa da Ressacada, pois o futebol brasileiro é caro, ainda incipiente em termos de gestão profissional, e também por isso acaba gerando grandes perdas de oportunidades. Quando você está preocupado em apagar incêndio, logicamente falta menos tempo para fazer dinheiro. Minha torcida é para que nesses dias de recesso da bola, agora com mais tempo e menos pressão, as coisas sejam feitas com mais cuidado do que foram nestes últimos anos. Tempos da ISO9001 fake.

Nenhum comentário:

Postar um comentário