Avaí, regras de ouro para contratações

|
Como vimos ontem, quando o presidente do Criciúma desfilou as razões que levaram seu time de volta para a série B, não importa o tempo e as situações experienciais vividas, é fato que os cartolas brasileiros se recusam a evoluir. Comentem os mesmo erros todos os anos, de forma sequencial, disciplinada e com um capricho de dar inveja às equipes de várzea de todo o país.
Invariavelmente esses senhores se abraçam aos modelos conhecidos, seguem a mesma cartilha e, obviamente, alcançam os mesmos resultados. É quase um método baseado em erros e acertos com a bênção da sorte. Creio que assim será enquanto nas cabeças destas instituições tivermos pessoas mais apaixonadas do que profissionais capacitados na gestão do esporte mais popular do Brasil.
Agora o Avaí entra naquela fase onde os atletas entram em férias, estão liberados para fazer o que fazem às escondidas durante toda a temporada, mas em que os dirigentes vão à loucura e ao mercado da bola em busca dos escassos reforços. Jogadores para compor o elenco tem de monte, complicado mesmo é pinçar aquele cara certo, para a função determinada e com as características certas. E de preferência, que não saia quebrando a noite no início, meio e fim das competições.
Para não ficar enchendo o saco do leitor com os muitos factoides de contratações que pulam na frente dos todos olhos diariamente, adaptei a explicação básica elaborada por Jean Sandrini, torcedor da Chapecoense, que serve para "atalhar" o caminho nas conversas sobre as futuras contratações do seu clube. São regrinhas de ouro que nortearão o Departamento de Futebol também do Avaí, o que certamente trará a expectativa dos torcedores para o patamar da nossa realidade econômica:
Ansiedade - Foto de Sérgio Prazeres
  • Não temos condições financeiras para bater de frente contra os 13 maiores do Brasileirão nas contratações, então eles beberão água fresca chegando na frente; 
  • Não teremos condições financeiras para bater de frente contra os times médios da série A (COR, CAP, SPT, GOI);
  • A maioria das nossas contratações serão jogadores que não vem sendo utilizados (como o Avaí sempre fez), portanto, alguns vão dar certo, outros serão desastres;
  • Alguns jogadores da base serão integrados ao grupo profissional (como sempre), porém já sabemos que entre eles não tem nenhum que seja a salvação da lavoura;
  • O Avaí terá na força do conjunto (+Marquinhos) sua principal arma. Se o time encaixar, alguns jogadores bons podem virar craques, médios podem ficar bons e os limitados podem vir a se tornar médios (que não comprometem);
  • Mesmo com tudo isto dito, vai ter a mesma turma de sempre pedindo melhores jogadores dos que vieram, sem olhar o contexto para ver que times com muito mais condição dão a mesma quantidade ou até mais bolas-fora do que o Avaí, com a diferença que eles têm dinheiro para errar e nós não. Grave essas regras e sofra menos.

3 comentários:

Sergio Nativo disse...

Mo quiridum, ja erraram tudo que podia errar nesses três últimos anos. Agora esta na hora de começar a acertar. Hora de ir as compras "bem digerinho". Tax compreendendo, mô santo?.

Unknown disse...

Mas o Avaí não tem olheiros?

ney.lf disse...

Tem olheiro cego, só pode ser.

Postar um comentário