Rivalidade e profissionalismo

|
Gustavo Bossle - Repórter e produtor da TV Band SC e da Rádio Band FM, Florianópolis - "A rivalidade entre Avaí e Figueirense e a rivalidade entre capital e interior é a grande responsável por esse crescimento. Uma coisa puxa a outra. O nível de exigência do "consumidor" cresce a medida que os concorrentes aumentam a qualidade de seu produtos. Com o título brasileiro da Série C conquistado em 1998 pelo Avaí, no ano seguinte, o Figueira se reorganizou e chegou à elite antes mesmo que o rival. Depois tivemos uma Série A com Avaí e Figueira, os clubes do interior não quiseram ficar pra trás e também focaram no acesso. A rivalidade foi o principal combustível. Mas inegavelmente Criciúma, Chapecó, Floripa e Joinville são ótimas cidades para se morar. Isso atrai bons profissionais do futebol e, consequentemente, melhora a qualidade do nosso produto. Então temos: rivalidade + bons profissionais = sucesso catarinense". Série de entrevistas do blog do jornalista Alexandre Silva

2 comentários:

Sergio Nativo disse...

Perfeito o comentário de Gustavo Bossle. Muitos comentam que tudo aconteceu a partir de Prisco Paraiso, discordo. É inegável a contribuição de PPP ao FFC, mas nossos clubes da Capital retomaram o crescimento a partir do titulo Nacional do Avai em 88.

turica disse...

Positivo Sergio Nativo..foi ali que a rivalidade se aflorou.

Postar um comentário