Um clube que se vendeu

|
Não, não é um post sobre o nosso rival do Estreito, muito próximo de ser arrendado pelo seu próprio presidente. O caso aqui é o Real Madrid, um dos clubes mais famosos do futebol mundial, que fez uma mudança em seu escudo durante a apresentação de seu novo patrocinador. A cruz antes presente no topo do distintivo não existe mais. O símbolo do Cristianismo foi eliminado devido à parceria dos merengues com o Banco Nacional de Abu Dhabi. Na luta entre a tradição e o dindim...
Para agradar o público árabe, o Real Madrid mostrou que pode mudar até seus símbolos mais tradicionais. Ao apresentar os cartões de crédito licenciados por um patrocinador dos Emirados Árabes, o clube madrileno exibiu seu escudo sem a cruz que normalmente fica exposta no alto da coroa espanhola. A coroa, inclusive, não é uma marca do clube, mas da própria monarquia do país. A equipe a usa desde 1920, quando o Rei Afonso XIII passou o título ao clube, que também ganhou o direito de usar o nome “Real”.
Segundo a nota oficial, a mudança também faz parte de uma estratégia do clube espanhol de expandir sua marca no Oriente Médio, com apoio dos Emirados Árabes Unidos, onde questões religiosas costumam causar polêmicas. Patrocinado pela Fly Emirates, companhia aérea de origem árabe, o Real Madrid vem estreitando laços com o país. Há algumas semanas, o clube acertou o naming right do estádio Santiago Bernabéu com a petrolífera árabe Ipic, com um contrato válido por 20 anos no valor de 400 milhões de euros (R$ 1,2 bilhão). Fontes base Correio do Povo e Máquina do Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário