Juntar os cacos e entrar em campo

|
Hoje o Avaí entra no gramado do Renato Silveira de Palhoça motivado pela obrigação de não perder por WO. Por mais que os muitos assessores de imprensa do clube e toda a imprensa da capital procurem motivos extras relacionadas a honra, orgulho, preparativo para o quadrangular da morte, Copa do Brasil e Série A, é notória a desmobilização emocional do time e da nação azurra.
Os jogadores, esses que também estão com o saco pra lá de murcho, são obrigados por contrato a buscar a segunda vitória - a primeira válida - no Delfinzão. Até aqui mostraram muito pouco, fizeram uma campanha sofrível, a batata de uma montoeira está assando no Departamento de Futebol, então é recomendável que mostrem alguma coisa pelo menos agora, pelo menos hoje.
Restou ao Avaí a decisão do campeonato mais importante do mundo: o clássico. Sejamos francos: no curto prazo, 99,9% dos avaianos só têm esse tesão esportivo sobrando. Mesmo com motivação meia boca, foda-se todo o resto, é a única oportunidade de semi-redenção até maio.

Um comentário:

Unknown disse...

Bom dia. Sera q a turma do escritório do Avaí trabalha de graça? Agora o Geninho ir com Eltinho veterano não dá né ô istepo. EmCamboriu levou duas no meio das pernas e ia e não voltava. Tá incardida a cosa.

Postar um comentário