Avaí, de primeira

|
Entrevista de Gilson Kleina via Globo Esporte - "É um momento antagônico. O Avaí das quatro linhas para fora está organizado, tanto na parte financeira, quanto administrativamente, procurando fazer a marca crescer, um passo consolidado para dar um salto de qualidade e como equipe que quer se manter na elite. Mas em campo não está acontecendo e temos que assumir, entender que a gente pode fazer um bom trabalho. E mesmo com um poderio técnico que temos, vamos ter que fazer é ralar a bunda no gramado e mostrar vontade, porque só assim a gente vai conseguir.
Cobrança ou conversa?
A cobrança entre eles esta existindo e se formos fazer uma análise, jogadores que lesionaram, ficaram muito tempo sem jogar, uma equipe que teve início com dificuldade e depois teve que se remodelar, você paga o preço. Precisamos retomar o planejamento. E esse não é o primeiro ano que não estamos disputando uma final. É uma obrigação nossa dentro do estado que possamos retomar a hegemonia, tem que ter esse espírito. Muitas coisas aconteceram, precisa de um alicerce e que vamos para um jogo sem ter uma equipe base. Em nossa conversa no vestiário falamos que não importa a idade e o nome, mas tem que resolver. Espero que seja uma equipe tranquila e sem medo de vencer. 
Importância do jogo contra o Marcílio Dias
Um campeonato à parte, um jogo direto, vamos fazer o apelo ao torcedor para vir e apoiar, que possamos retribuir de uma outra maneira. Prender a bola, ser uma equipe agressiva no momento certo, não existe mais jogo fácil. Você consegue favorecer isso com seu esforço em campo, esse amor que cada um tem pelo Avaí e é esse sentimento que temos.
Contratações
Na verdade a gente está preocupado e focado com o Marcílio Dias. Esse jogo é de grande valia para nossas pretensões. Existe o mapeamento de todos os regionais, a gente acompanha e sou rigoroso nesse sentido. Não adianta indicar o jogador se o sistema não é favorável. E na Série A aumenta muito a qualidade, o erro tem que ser pouco. Temos que retomar primeiro isso, trabalha como três membros de comissão técnica, a gente agregou os profissionais que aqui estavam, comprometidos, que vão aliar com nossa competência. Não quero profissional ocioso, há muita coisa para fazer, quem eu não conheço vou trazer para o meu braço e apresentar a metodologia para ajudar. (...)".

2 comentários:

Aloísio Campeche Silveira disse...

"O Avaí das quatro linhas para fora está organizado, tanto na parte financeira, quanto administrativamente, procurando fazer a marca crescer, um passo consolidado para dar um salto de qualidade e como equipe que quer se manter na elite (Kleina)". - Falaram isso prá ele, ou será que ele acredita nisso mesmo?! - O time (?) atual do Avaí é um retrato fiel do corpo administrativo do clube.
Se o Kleina pensa que conhece tão bem o AVAÍ, já começa iludido, com essa falação toda já aumentou (e muito) a minha preocupação. Tomara que esse ano passe logo.

Sérgio disse...

Parecei no primeiro parágrafo, não consegui ir adiante.

Postar um comentário