Empate em desrespeito e desorganização

|
Mais uma vez tivemos ocorrências lamentáveis como pano de fundo do clássico. Pelos seguidos erros de organização ocorridos na Ressacada e no Scarpelli, a impressão que se tem é que há uma troca de "gentilezas", um revide pelo último tratamento dado aos torcedores de maneira automática. Não é possível que dois clubes profissionais com mais de 90 anos de experiência em eventos esportivos ainda não tenham aprendido a disponibilizar conforto e segurança e aos seus clientes.
Ontem houve o "tradicional" show de incompetência do futebol brasileiro, com os visitantes sendo tratados como gado, encurralados após o corre-corre por não conseguirem entrar no estádio. Com ingressos na mão e catracas insuficientes para dar conta da demanda, houve muita confusão e novamente vidas foram colocadas em risco. Uma "reciprocidade" burra e irresponsável.
Tal qual a direção do Figueirense, a do Avaí ainda não aprendeu a calcular o espaço necessário para a torcida adversária. Foi um tremendo sufoco para os 1.900 alvinegros assistirem a partida naquele pedaço de arquibancada a eles disponibilizado. Tentativas de invasão, brigas, empurra-empurra, depredações do patrimônio, enfim, uma bagunça que mais uma vez informa aos torcedores da Capital que o clássico é um péssimo programa para o cidadão e sua família. Foto Cristiano Estrela

5 comentários:

Sergio Nativo disse...

A desorganização do Avaí avaliza a depredação de nosso patrimônio? O que o patrimônio do clube, meu, seu, nosso, do torcedor avaiano tem a ver com a frustração do torcedor se ele ja estava dentro do estádio? Sempre somos mal tratados la, então devemos destruir o Scarpelli Park? É dando moral a vândalos que a imprensa acha que conseguiremos ter torcida mista? Existe estimo maior a violência foi o que fez a capa do Hora em colocar um suposto duelo França x Marquinhos. So teria sentido se França fosse um craque em campo no nível de M10. Um tem historia de titulo em campo o outro historia em paginas policiais. Da para comparar? Isso ninguém cobra da RBS. Talvez a RBS fez a apologia a violência e deu no que deu.

Gerson Santos disse...

SERJÃO, "a desorganização do Avaí avaliza a depredação de nosso patrimônio?", se não sei onde você leu isso, o que te dizer? No mais tamu junto!

Aguinaldo Garcez disse...

Gerson, tive a mesma impressão do Sergio ao ler o texto, apesar de não estar explícito, me pareceu que a justificativa da quebradeira está no tratamento indevido aos torcedores visitantes, mas está esclarecido na tu resposta
Abraço.

Gerson Santos disse...

AGUNALDO, que colaborou eu não tenho dúvida. Mas para quem não tem educação, até um peteleco na orelha seria motivo para depredação de algo que não lhe pertence.

Guilherme Leal Sousa disse...

Concordo q houve desorganização por parte da diretoria do Avai, mas sinceramente não acho que foi o maior culpado.
Amigos meus alvinegros, me disseram que haviam muitos torcedores na frente do portão sem ingresso, e que muitos desse entraram sem ingressos na mão após a confusão, impossibilitando quem tava com ingresso de entrar. E outra, muitos torcedores do figayra compraram ingressos pra torcida do avai, e no momento do gol do vizinho comemoraram de forma debochada, oq acabou dando inicio a uma confusão, onde esse torcedores foram realocados pela policia militar para dentro do setor visitante, enchendo ainda mais aquele setor !!! Isso mostra que uma série de fatores ocasionaram essa confusão, como a propia desorganização da diretoria por botar duas catracas apenas, o despreparo da policia por botar aqueles torcedores que compraram ingressos pra torcida do avai no setor visitante, e o grande desrespeito de alguns torcedores que foram ao jogo mesmo sem ingresso, e q ao tentar entrar acabaram "criando" uma confusão, e ali conseguiram entrar...
Abçs Gerson

Postar um comentário