O que fizeram com o Avaí...

|
Uma caricatura de time, um rascunho mal elaborado de elenco, uma comissão técnica que desconhece os rudimentos do futebol e uma diretoria que vê tudo isso acontecer com olhares cândidos de um pai permissivo com outras prioridades além de sua "família". Esse é o resumo do Avaí não de hoje, mas que se arrasta entre a fantasia e o vexame desde o ano de 2009.
Desde lá, da épica sexta colocação geral na série A, com um breve intervalo em dois títulos estaduais - 2010 e aquele "no susto" de 2012 - e o acesso do ano passado na bacia de todas as almas, o outrora mais respeitado de SC só fez acumular momentos de extrema humilhação para o seu torcedor. Se é o único do Estado sem patrocínio master, é porque as empresas sabem o risco que correm ao associarem sua marca a um clube hoje sinônimo de derrota e desorganização.
Numa administração que é escancaradamente de continuidade da anterior, não é de se admirar que o Avaí tenha feito os mesmos sete pontos do Catarinense do ano passado. Mas fazendo "evoluir" essa continuidade, conseguiu colocar em campo um jogador da Tombense, perdeu seis pontos no tribunal e fecha a primeira fase na lanterna isolada com um mísero ponto. Como bem lembrou Eduardo Santos, nem juntando o primeiro turno do ano passado nós nos classificariamos para esse hexagonal.
Time de chegada, camisa enverga-varal, time grande, time da raça, que impõe respeito, tudo isso virou pó. Há anos não vemos mais essas místicas impregnadas no azul e branco da Ressacada. Além disso, o desencontro de soluções dos problemas fica evidente quando Marquinhos pede reforços para ontem e Geninho, num rápido contato mediúnico de seu mundo paralelo, diz que "Vamos precisar de alguma coisa, com certeza vamos. Mas não sei aonde e em quais posições...".
Em meio ao caos de gestão e o oceano de promessas não cumpridas que se perpetuam no Sul da Ilha, fico com a opinião do avaiano Rafael Xavier: "Não posso corroborar com uma diretoria que acha que um gol do Santa Cruz aos 49 do segundo tempo torna as decisões do clube acertadas."
Senhores dirigentes, sejamos francos, vocês são fracos, vocês são o problema. Os que foram contratados são apenas consequência do seu desconhecimento de futebol. Foto arquivo Alvarélio Kurossu

2 comentários:

Luís disse...

Perfeito! O único reparo que faço é destacar que o vexame vem apenas desde 2009; na verdade o vexame vem desde o início da administração da qual a atual gestão é continuidade - de lá para cá, tirando apenas o ano em que subimos para a Série A em 2008 e a campanha de 2009 na Séria A, o resto foi vexame.

Sérgio disse...

Acho que anos de maus resultados é uma coisa, no caso do Avaí o agravante foi a sequência de piores resultados possíveis como por exemplo ser rebaixado em último lugar. Bom, seguindo uma cartilha de sequência de vergonhas tinha que ficar em último em dos campeonatos mais fracos do país.

Postar um comentário