Avaí, de primeira

|
Coletiva pós-jogo de Gilson Kleina - Análise do jogo "O lado emocional é muito importante e estamos em uma fase crescente. A gente tinha conquistado o objetivo sábado e na Copa do Brasil você tem que ser copeiro. Queríamos a vitória e a estratégia era pressionar a saída e bola, fizemos uma marcação alta, criamos situações para ampliar. Nossa equipe teve movimentação e demos contra-ataque a eles. Chamamos a atenção no intervalo para não ficar vulnerável como a gente ficou, já que o empate era deles. Estou feliz, mas temos que ter maturidade para corrigir os erros."
Maturidade do volante Renan
"Personalidade do garoto, isso é inerente da pessoa. É um garoto seguro, a gente conversa, mas dá a liberdade para ele. Faz um futebol moderno, não tem receio de sair para o jogo e às vezes quer passar um pouco na frente dos meias, tem que corrigir. Ele dá sustentação na roubada, cobre os laterais e a gente quer que continue assim. Se ele continuar com essa personalidade, vai marcar jogadores com mais qualidade e essa maturação vai passar por isso. Está de parabéns a base do Avaí, formando jogador com personalidade. No que depender de mim, tem muito a crescer e nesse momento está sendo um jogo de muita valia."
Data de jogo
"Se eu for analisar, são duas situações distintas. Respeitar a final do Catarinense e o momento do Avaí. Nosso momento é bom, mas não sei se a parada vai facilitar. Podemos pegar uma equipe com ritmo, mas com desgaste maior. Se ficou para os bastidores e definiu, tenho que acatar. Se eu pudesse, jogaria logo."
Presença de Adriano na Copa do Brasil
"O meu protocolo é fazer os exames com esses jogadores e saber o rendimento, a produtividade. Para entrar, tem que entrar no ritmo que estamos jogando. O Adriano vai dar sustentação e tem que ver as condições. Tendo condições para colocar no dia a dia do treinamento, vamos avaliar." Matéria via GE

Nenhum comentário:

Postar um comentário