Vergonha de ponta a ponta

|
O heroico torcedor avaiano fez a sua parte. Deixou o clube entre os de maior média de público no campeonato, entrou no Procon para assistir os jogos e até viajou à Ibirama para dar seu apoio. Como prêmio, uma partida vergonhosa na base do deixa que eu deixo que garantiu a ambos a fuga do rebaixamento. Essa "apresentação" do Avaí espelha com perfeição a sua campanha no estadual. Mal no começo, patético no meio e melancólico no final. Suplício e vergonha. Arte sobre foto de Multticlique

3 comentários:

Gilberto disse...

A campanha do Avaí foi ridícula, a Diretoria é fraca e o time limitado. Até aí, tudo bem. Mas criticar o Avaí pelo jogo de hoje é exagero. O empate servia, o adversário ficou com um jogador a mais desde os 30 minutos do primeiro tempo, jogava em casa e não quis mais jogar. Aí o Avaí deveria atacar, arriscar perder, aguentar mais gozação e ajudar o Guarani que não fez o papel dele? Vamos combinar: um pouquinho de bom senso ajuda muito.

Gerson Santos disse...

GILBERTO, como respondi ao Aloísio em outro post, esse é um ponto de vista de segurança, que garante um sofrimento menor ao se olhar para o Avaí de 2015. Entretanto, me conformar com esse "pelo menos não caiu" é demais para quem torce para o mais vezes campeão do Estado a agorinha há pouco, 6° colocado na série A. E, sim, o Avaí deveria jogar como um time grande diante de um adversário com uma folha salarial cinco vezes menor, sem calendário, que só volta a jogar em 2016 e, principalmente, porque disse que entraria para ganhar. Se nada disso ainda fosse suficiente, deveria jogar com PROFISSIONALISMO pelo menos para aqueles que pagaram ingressos e até viajaram 440Km de ida e volta para apoiá-lo.

Gilberto disse...

Na teoria, tua opinião é pertinente. Na prática, o Avaí está muito longe de ser esse gigante que você mencionou. O Avaí de 2015 não tem muitas opções: é tentar não perder. Foi o que fez lá em Ibirama, principalmente porque ficou com um a menos e o time da casa não quis mais jogar.

Postar um comentário