Avaí e uma penca sem patrocínio

|
Não sei se nas séries A e B há outro clube que como o Avaí está para completar um ano e meio sem um logotipo na área mais nobre de sua camisa. Mas na primeira divisão que inicia agora, São Paulo, Cruzeiro, Santos, Goiás e Ponte Preta também começam o Brasileirão sem patrocinador master.
Corinthians, Flamengo, Vasco, Sport, Atlético-PR, Coritiba, Figueirense e Chapecoense têm uma marca no peito porque a Caixa despeja mais de R$ 100 milhões por ano no futebol, investimento que pode minguar tão logo o ajuste fiscal de Dilma Rousseff e Joaquim Levy chegue ao esporte.
Grêmio e Internacional estão seguros com o patrocínio do Banrisul, também estatal. O Palmeiras tem Crefisa e FAM, ambas do mesmo grupo de empresas que tem um palmeirense como dono, e o Atlético-MG tem a MRV, pertencente a um atleticano. Excluídos patrocínios políticos ou "torcedores", sobra a Viton 44 na cota master do Fluminense. Fonte base blog Dinheiro em Jogo

Nenhum comentário:

Postar um comentário