Gilson Kleina, olhai por nós

|
O clássico não seria uma missão mamão-com-açúcar. O estranhamento de todos os torcedores pelo clube ter 10 jogadores recém-contratados e ver apenas quatro relacionados, ficou evidenciado na tensão dos dias que antecederam a primeira partida pela segunda fase da Copa do Brasil.
Adiantamos aqui que a vitória teria ser na raça, na superação, no peso da camisa e na sorte que costuma acompanhar os bêbados e as crianças. Justiça seja feita, aquele amontoado de jogadores largados no gramado não foi visto na última quarta-feira na Ressacada. A organização dos 11, a nova disposição tática, o técnico do Avaí, tudo isso foi premiado com uma vitória justa e incontestável.
Será que Geninho não era o cara para a temporada 2015? Ainda é cedo para tal afirmação, até porque o elenco era um dos mais sofríveis já vistos pelo Sul da Ilha. Uso aqui o verbo no passado por depositar uma boa dose de esperança nesse pacote de quase um time inteiro trazido pelo Departamento de Futebol para série A. Pausa: não confundir esperança com convicção.
Excetuando-se o zagueiro Emerson (ainda que encostado no Galo), todos os demais podem ser enquadrados na categoria de apostas. Everton Silva, Nino Paraíba, Romário, Juninho e Rudinei, a quina apresentada ontem, só o futuro dirá se foram um momento de genialidade ou a continuidade das bobagens do 1° semestre. Gilson Kleina, meu amigo, agora é contigo! Foto André P Ribeiro AFC

Um comentário:

GeorgeAB disse...

Nosso time É FRACO!

Postar um comentário