Momentos de amizade e olhe lá

|
Finalmente uma palavra forte de um dirigente avaiano. Essa é a sensação do torcedor ao ouvir a entrevista do Diretor de Esportes Carlos Arini, falando da manobra de bastidores do clube do Estreito em relação ao julgamento de Marquinhos pela joelhada no clássico pela Copa do Brasil. Não bastava enviar a notícia de infração para a procuradoria do STJD com a joelhada do galego, tinha que montar um dossiê em vídeo retroativo a 2011. Vamos e venhamos, é muita "dedicação" com os fatos.
Embora alguns preguem o acirramento de ânimos com os arrendados do Continente, os mesmos que hipocritamente criticam a violência no futebol, vejo com bons olhos a forma inteligente, conquanto contundente, de Arini a mais essa investida extracampo. Sim, a questão está se tornando pessoal, contra a pessoa de Marquinhos, esquecendo-se que além dele existe sua mulher e dois filhos.
Para o bem do futebol da Capital é pouco que Nilton e Wilfredo visitem uma delegacia de polícia para conversarem sobre os problemas das organizadas, para posarem sorridentes em foto de mãos dadas e acenarem com um setor de torcida mista para o próximo clássico. É preciso atitude profissional, mas enquanto isso não acontece, Nilton tem que entender que Wilfredo não é seu amigo, mas um investidor interessado na lucratividade de sua empresa e pronto a atingir seus objetivos.
O presidente do Avaí não precisa deixar de ser educado, cordato e diplomático, mas que tem que abrir o olho e ficar esperto. No futebol não há amigos, o que há são momentos de amizade. Foto via FB

Um comentário:

Paulo disse...

o vintão não ponto sem nó !!!

Postar um comentário