O fator Kleina

|
Gosto das opiniões que amanheceram reclamando os dois pontos perdidos na Ressacada. Isolando a diferença gigantesca que separa o pedigree do elenco do Santos para o do Avaí, as oportunidades criadas pelo segundo dão margem de sobra para tal lamento passional. Verdade seja dita, a rapaziada de azul se empapuçou de desperdiçar oportunidades claras de gol.
Disse ontem e repetido que considero um ponto ganho. Misturando nesse caldo dos 90min de ontem o que foi a temporada do Avaí até esse início de maio, empatar com o campeão paulista é um resultado que precisa, sim ser celebrado. Não gosto do tal complexo de vira latas, mas precisamos lembrar que "ainda ontem" esse mesmo time estava no Quadrangular da Rabeira de SC.
Só para refrescar a memória, nesse quadrangular o Avaí somou os mesmos 10 pontos do Atlético de Ibirama e ficou apenas um ponto à frente do Guarani e quatro do Marcílio Dias. Lewmbrou do drama? Há quem que credite a Gilson Kleina essa mudança de atitude e futebol vistos ontem em campo. Sou um desses, o que faz pensar que os que criticavam o trabalho de Geninho não estavam assim tão equivocados. Ah, os corneteiros. O que seria do Avaí sem os corneteiros... Arte sobre foto de Jamira Furlani

Nenhum comentário:

Postar um comentário