Que não falte salário

|
Quando assumiu o Avaí no final de 2013, Nilton Macedo disse que o clube tinha 150 funcionário e que assim que pudesse faria um corte de 30%. Hoje, salvo engano, são 250 pessoas na folha mensal. Um mês depois o Avaí perdeu o patrocínio da Caixa e seis meses depois fechou com a ICT, de quem não recebeu nenhum centavo. Dentro de duas semanas serão 18 meses sem patrocínio master.
Ainda na pré-temporada e por telefone, Geninho dizia que nesse ano o Avaí não trabalharia com mais de 27 jogadores. Já são 44 boleiros e não se fala em dispensas. Sem captação de recursos e sem as medidas saneadoras que já deveriam estar em prática, que os deuses do futebol não permitam que se atrase salários. Todos sabem que esse "pecado" tem um preço certo e amargo.

4 comentários:

Boto disse...

44 jogadores dos 27 (agora falam em 35) que deveria ter... Agora some isso a necessidade de correr desesperadamente por uns 3 ou 4 jogadores razoáveis na Série B e (sic) C para resolver as deficiências que vão ser identificadas com o grupo FRACO que fizeram até então, terminaremos o ano com mais de 50.
Sobre o patrocinio, o presidente da Caixa veio à Floripa para fechar com o presidente do Avaí e ele manda o estagiário? Porra, o cara pega férias no meio do campeonato e caga pro Avaí, agora ele vem com a desculpa que no dia da reunião com o cara que poderia estar resolvendo um problema gravíssimo no Avaí ele me diz que não pôde comparecer pq foi acompanhar a delegação em uma partida.

Sergio Nativo disse...

Gerson, quem disse 44 foi o presidente no "deboche diario". Nem isso o presidente sabe. Segundo fonte segura o Avai ja tem mais de 50 jogadores. Isso sem contarm o numero de aspone em varios departamentos, na assessoria de imprensa chega proximo de 10. Em compensação não tem o cara mais importante, o fazedor de gols.

Gerson Santos disse...

BOTO, diria que o estagiário não mandou muito bem. Desde então estaos tendo uma NÃO entrada de pelo menos R$ 300 mil mensais.
SÉRGIO, Nilton cita 44 atletas aos 19'50" do programa ~> http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/radio-cbn-diario/19,0,4761394,Debate-Diario-15-05-2015.html <~ Não quero crer que sejam mais de 44 boleiros, que já é um exagero.

Gilberto disse...

Havia uma jantar marcado em Florianópolis para negociar o patrocínio com um diretor da Caixa Econômica Federal, mas ele não foi. Qualquer dirigente do mundo teria ido a esse jantar, mesmo que fosse em Mossoró, no Rio Grande do Norte, ou em Babaçulândia, no Tocantins. Mas não. O jantar foi em Florianópolis e ele não foi. Mandou um conselheiro do clube. Sinceramente, sinceramente mesmo, nem dá para comentar. Vou falar o quê? Precisa falar alguma coisa? Até Deus, que nesses últimos 16 anos provou inúmeras vezes que é avaiano, tá ficando cansado.

Postar um comentário