Avaí, de primeira

|
Coletiva pós-jogo de Gilson Kleina - Lance do pênalti não marcado "Foi falado para a gente que se agarrassem na área. Quero ver se eles vão ter dúvida em marcar um pênalti desses no Maracanã, Morumbi. Eu não transfiro a responsabilidade para a arbitragem, mas foi um lance crucial e que simplesmente não quis marcar. O Avaí está trabalhando para ter ambição, parece que não tempos ambição de chegar. Temos que fazer uma representatividade em cima desse lance da arbitragem. O estádio inteiro viu que foi pênalti e saímos prejudicados.
Análise do jogo - O campo prejudica a equipe que tenta colocar a bola no chão. Tentamos fazer o que trabalhamos e sabíamos que para enfrentar o Figueirense tinha que brigar pela segunda bola, a bola aérea. Corremos, buscamos, tentamos transformar a posse de bola em condições. O Anderson foi feliz com o gol e no segundo tempo tentamos a vitória. Aumentamos a estatura da equipe para que nós pudéssemos viver da bola parada e fizemos um grande jogo. Os jogadores estão de parabéns. 
Jogadas aéreas - Treinamos com o Hugo e o Rômulo, jogadores de velocidade, mas o campo não auxiliava. O Argel depois colocou o Saimon de volante, aumentou a estatura e resolvemos equilibrar nisso. Fomos competentes e quase viramos com a bola parada do Marquinhos. 
Ausência do volante Renan - O Renan é um garoto que não chama só a atenção pelo futebol. Tem a personalidade, entrou no time com mérito da comissão e está fazendo uma Série A que parece não ser a primeira. Não tem uma estatura grande, mas compensa e sabe jogar. Perdemos agora, mas tem o Eduardo Costa, o Adriano, o Claudinei. É a hora do grupo, a oportunidade não tem data. Terça-feira vamos pegar o relatório do São Paulo e ver a fragilidade do adversário para a partida. 
Virtude do Avaí no clássico - Trabalhamos a semana inteira em campo seco e ontem choveu. Não vou reclamar também da natureza. Os jogadores assimilaram os pedidos e sabíamos que o adversário ia usar a bola aérea e nossa virtude foi sempre buscar a vitória. Esse é o sentimento nosso, e a sabedoria dos jogadores foi importante. 
Balanço do campeonato do Avaí - Não tem como não enaltecer o trabalho de todos. Com sete jogos fazer 11 pontos é significativo. Estamos definindo a meta, primeiro objetivo está definido, permanecer. Mas permanecer passa por uma ambição maior. E se a gente se unir, é bom para Santa Catarina. Colocar quatro representantes é difícil e a permanência é complicada. Está todo mundo de parabéns e enquanto jogar coletivamente e respeitar, saber que o coletivo é mais importante que o individual, a equipe passa a ser atrativa. Cada rodada que passa a gente segue tentando pontuar. Sabemos que o primeiro turno é um campeonato e o segundo é totalmente diferente." Matéria base via Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário