Nosso "tapete" já foi bem melhor

|
Lembro de uma entrevista de Franz Beckenbauer à ESPN, um pouco antes da Copa do Mundo no Brasil, fazendo uma análise dos erros de base cometidos na administração do futebol. De bate-pronto citou os gramados dos estádios brasileiros, pouco cuidados e que usam um tipo de grama "lenta", já abandonada nos países de 1° mundo e em competições internacionais.
Chegamos no outrora gramado perfeito da Ressacada, que em 2015 não tem apresentado aquela qualidade que a imprensa se costumou a ver e elogiar inclusive em programas de alcance nacional. Depois do plantio da grama de inverno, há cerca de um mês, tem-se a impressão que a relva se nega a tapar alguns buracos e a completar pedaços insistentemente "carecas" naqueles 100x68m.
Não apenas o gramado, mas também já vimos a drenagem da Ressacada dar conta de aguaceiros bem maiores que o de ontem, sem que ficasse uma só poça à vista. Nesses dias um leitor chegou a perguntar se o Ademir havia se aposentado. Disse-lhe não saber e que o problema talvez esteja na verba disponível para manutenção. Pitacos de um tanso em Agronomia. Foto Rafael Araldi

2 comentários:

ney.lf disse...

Pensei da mesma forma quando entrei no Estádio, será que o Ademir não está mais na Ressacada?

George Porto disse...

Fazia tempo que não via lama no gramado do Ademir mas graças ao urubu do apito o Argéu Fuck You não reclamou de nada.

Postar um comentário