Um clássico um pouco diferente

|
Todo mundo em Floripa está careca de saber que quando há um clássico pela frente, tudo o mais se torna relativo. Não apenas por uma rivalidade quase centenária, mas pelos dias que se seguirão ao confronto mais esperado dessa Ilha de meu Deus. Aliás, qualquer que seja a partida, até mesmo um amistoso, ele nunca acabará, será celebrado ou lamentado para sempre. Isso é clássico.
Mas nesse semana especificamente, noto uma teórica mudança de postura do elenco avaiano para o confronto do próximo domingo, que pode ser observada nas palavras do goleiro Vagner: "Um clássico muda tudo. Às vezes a situação está ruim, mas você ganha o clássico e esquece tudo que passou. Temos que tentar fazer nosso melhor para conquistar a vitória, porque temos mais rodadas pela frente e não podemos se empolgar demais se ganhar ou abaixar a cabeça se perder".
Diz ainda Vagner que antes mesmo da partida contra o Goiás não apenas os torcedores, mas o próprio grupo, já estavam pensando no clássico, no que foram repreendidos de imediato, até porque esse não é um campeonato de um jogo só. Perfeito, é isso mesmo, tanto que Marquinhos já apareceu afirmando que revanche pela eliminação na Copa do Brasil não pode influenciar a equipe neste domingo" "A gente precisa vencer pelo campeonato, mas sem dar resposta."
Repito, pode ser apenas uma mudança de postura teórica, um discurso politicamente correto para os microfones e câmeras, mas tudo leva a crer que tenhamos um clássico jogado, pegado, emocionante, de arrebentar o coração de todo mundo, mas restrito àquilo que entendemos como futebol. Sem agressões dentro e fora dos gramados, com foco na bola e depois, claro, na gozação entre os torcedores, como na imagem acima do post, que é uma verdade dolorida para "eles".

Um comentário:

Paulo disse...

Segundo o pretoebranchi, devem descartar o frança, e adotar de agora em diante o zagueiro marquinhos !! até quando nem o serviçal sabe responder !!!

Postar um comentário