Uma vitória para tranquilizar

|
Jogando fora de casa, tendo que se recuperar da sapatada para o Galo e diante de um Goiás esfomeado por fazer uma vitória, um empate ontem no Serra Dourada seria um bom resultado para o Avaí. Tanto que a nova formação com três zagueiros e um Andrerson Lopes solitário, que sinalizava um time mais cuidadoso, só fez se confirmar durante todos os 90min da partida.
Mas diante da fragilidade do adversário, que fazia uma péssima apresentação, o técnico Gilson Kleina acabou ficando numa sinuca de bico: "Não posso perder, mas os caras estão pedindo para levar". O Goiás não sabia como fazer gol e o Avaí só não queria ser derrotado. Deixa que eu deixo, não chuta que eu não chuto, se tu não vem eu também não vou. Dois times birrentos.
Daí então, quando tudo já estava "combinado", no puro estilo avaiano de ser e fazer acontecer, numa escapada em contra ataque e com o biquinho da chuteira, aos 48min da etapa final Rômulo empurrou a bola para as redes para decretar uma vitória emocionalmente rejuvenescedora para o Leão.
Se o Avaí empatasse, missão cumprida do professor. Tivesse perdido, mas que baita cagão! Como venceu, Gilson Kleina mito estrategista da semana. Assim é o futebol. Foto André Costa/Agência Estado

3 comentários:

Matheus Montagnini disse...

Sinto cheiro de G4.

George Porto disse...

Concordo o time do Goiás foi muito fraco. Venceu quem aproveitou uma das poucas oportunidades. AGORA É CLÁSSICO PORRA!!!!!!!!!

GeorgeAB disse...

Eu não acreditara que ia dar certo, mas deu!!! Fico contente, agora é estudar bem o adversário e ir com o melhor que temos, que na minha opinião é com 2 atacantes.

Postar um comentário