Avaí, de primeira

|
Entrevista pós-jogo de Gilson Kleina - "A postura do Avaí foi de quem entrou para sair vencedor. Acho que desde que tomamos o primeiro gol, pela nossa postura, nem merecíamos ter tomado aquele gol, mas futebol é assim. Você vê controle de jogo, maior posse de bola e perde o jogo. Foi o que aconteceu. A gente lamenta, fica um sentimento triste, porque estava tudo na nossa mão, fazer três pontos para entrar mais uma vez no campeonato, poder estar próximo do grupo de cima."
Análise da partida - "Ali era uma jogada que poderíamos isolar. Se foi pênalti ou não, o que posso dizer, até conversei com ele no final. Teve aquela bola que estava sendo atravessada para o William e bateu na mão, daí gerou interpretação que não foi pênalti que, para mim, ali poderia ter dado pênalti, e na bola atrasada, que deu um carrinho e o goleiro pegou. Acho que ali também houve um erro. Mas não vamos transferir, temos que assumir nossos erros. Fizemos um grande jogo, o Avaí tinha totais condições de estar em uma situação mais confortável na tabela, mas estamos cometendo uns erros que estão custando pontos preciosos. Temos que conversar. Hoje muito mais lamentando. Agradecer também o apoio do nosso torcedor. A gente só conseguiu a virada pelo apoio dali. Depois da virada essa bola teimou em não entrar. Não encaixamos para matar o jogo e fomos castigados no final."
Mudanças em campo - "Quando você perde um "jogador cerebral" como o Marquinhos, eu entendo que temos que colocar força e velocidade pelos lados, foi o que aconteceu. O Tinga, além de estar indo muito bem aqui no Avaí, também tive a oportunidade de trabalhar com ele no Palmeiras, ele pode fazer essa situação, como fez, ele fez um grande jogo. Ao mesmo tempo, eliminou um jogador importante. Todo mundo fala do ataque do Sport, mas quem começa as jogadas se chama Wendel, um volante canhoto. No primeiro gol é ele que faz a lateral. E nós colocamos velocidade pelo lado, tanto com o Rômulo, quanto o Anderson. Essa velocidade não poderia ficar longe. A entrada do Everton... ele faz muito bem essa segunda linha para fazer a transição, o Roberto era pelo drible que tem, na primeira bola já sofreu uma falta. A entrada foi para manter a velocidade e a situação. A entrada do Pablo no lugar do Tinga, é que ele fez um sinal que estava esgotado, muito tempo sem jogar, e mantive a marcação agressiva. A bola que tinham era pelolado direito. Esse jogo temos que lamentar."
Atuação do Jubal - "Ele e o Jéci estavam indo muito bem. Eu não sei se não houve uma comunicação. Ali era uma bola, fim de jogo, uma bola que tem que tirar, então o garoto está sentindo, mas ali era fazer o simples, tanto é que quando ele vê que vem alguém por trás, ele tenta tirar a bola. Também achei que o André dobrou as pernas. No posicionamento do árbitro, de repente, achou que pegou no pé e deu o pênalti. É uma jogada que não estava levando perigo em nada para o nosso gol. Depois de ter perdido a bola, quis recuperar. Tem que crescer com esses lances, é um zagueiro de ponta que vai se destacar. São situações que temos que corrigir e analisar o erro. Vamos conversar. A parada agora é contra o Palmeiras, não tem jogo fácil." Matéria do Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário