Mais que dois neurônios analíticos

|
Começando pelo final, fica difícil para o torcedor aceitar a principal razão de Gilson Kleina para a derrota de ontem para o Vasco: o Avaí ainda é um time em formação. Não, amigo professor, não é, ou pelo menos já deu tempo para deixar de ser. Até quatro rodadas atrás o técnico avaiano cogitava se pensar até em patamares mais altos na série A, e não tão somente fugir do rebaixamento.
O fato é que o Avaí chega na 10ª rodada com aproveitamento de 40%, o que não é algo assim tão ruim, mas vem de um claro declínio nas últimas quatro partidas, com apenas dois pontos ganhos em 12 disputados. Já faz muitos anos que não é permitido ao torcedor sonhar com futebol-espetáculo, então resta a dura régua do futebol-de-resultados: vai bem, elogios. Vai mal, críticas. Simples assim.
É sabido desde a bisonha campanha do Campeonato Catarinense que a base do elenco é tecnicamente fraca, que as contratações foram apostadoras, mas que isso não sirva para mais um treinador achar que o torcedor tem apenas dois neurônios analíticos. Foto Paulo Fernandes

2 comentários:

Unknown disse...

O time toma muito gol, e olha que se fosse concretizada todas as chances adversarias, teriamos tomado já 108 gols nesse campeonato (10 rodadas). Vergonha total. E pra fazer um lance ofensivo, cruzar, lançar, tabela, passe agudo, chute, é um parto!!!! Os caras preferem tocar para tras (para depois perder ou entregar a bola, como sempre) do que arriscar um cruzamento, um passe agudo, chute, etc.

É tanta ruindade e burrice que eu aposto que tinha torcedor passando mal!!!!

E o Kleina tem que falar porque não gosta do Roberto, colocar o Denner ao invés do Roberto precisando ir pra cima ganhar, pelo amor de DEUS!!!!!!!!!!!!!! Começou a ficar retranqueiro.

Nosso time jogando a base de passe curto inutil, errou mais passes que um time da Lituania da 4a divisão jogando em passe longo.

Sérgio disse...

Tem sido fácil fazer gol no Vagner ultimamente.

Postar um comentário