Avaí, de primeira

|
Coletiva pós-jogo do auxiliar Juninho - "André Lima é experiente, Marquinhos, Romulo, Eltinho, a gente contava com o Anderson Lopes e não teve como jogar. O Antonio Carlos sentiu no vestiário, mas isso é bom para testar o elenco. No geral, a Ponte foi melhor e por isso ganhou. Foi o mesmo estilo de jogo do Fluminense, mas faltou uma bola encaixada para a gente fazer o gol no primeiro tempo. Meninos foram bem, mas no geral a Ponte Preta foi superior a nós e mereceu a vitória."
Queda de rendimento - "Os desfalques, com certeza. Você tira 50% do time e perde em conjunto. Jogadores que ditam o ritmo do nosso time, o Marquinhos é o cara que pensa, só que desfalques desfiguram o time. Isso foi preponderante para a gente não conseguir finalizar mais, chutar mais." 
Estreia de Néstor Camacho - "A gente sentiu ele cansado, estava há um tempo sem jogar, mas estava bem no jogo. Então tivemos que substituir." 
Evitar altos e baixos - "Quando você perde cinco jogadores é complicado. Isso é o principal para altos e baixos, então dificulta você ter o mesmo estilo do que o Fluminense. Estamos tendo esses problemas. Se os jogadores voltarem, você pode ter certeza que vamos evoluir." via Globo Esporte

2 comentários:

Sergio Nativo disse...

Sem um goleiro que preste. O único goleiro que dizem ser bom é o terceiro que nunca entra, um técnico com medo da macaca e Antonio Carlos sendo nosso melhor zagueiro. A coisa esta feia. E o Emerson hein, irreconhecível no corpo, na personalidade e até no futebol. Medonho!

Sérgio disse...

Sem goleiro e sem zaga, com um técnico cagão e um poste chamado Renan Oliveira. Sim, não há milagre! Vai substituir mal assim na pqp!

Postar um comentário