O Avaí não é um zumbi

|
Nestes últimos anos convivendo com empresários e seus consumidores, notei que nenhuma das partes foi "colonizada" pelo espírito da autoestima, do orgulho pelos frutos do seu trabalho e menos ainda pela expectativa de que as chances de vencer são maiores que as de perder.
Não falo de pessimismo, mas de culpa, também traduzida pela expressão "eu não mereço tanto". Um exemplo rápido, não lembro de ter conhecido um empresário de uma pequena ou média empresa (porque microempresário não existe, é invenção nossa) que desejasse primeiramente ficar rico. "Quero equilibrar o caixa". Não se diz, mas se pensa, porque a cobiça leva para o inferno.
Chegamos a um crescente número de torcedores que ensaiam acreditar que a temporada do Avaí chegou ao fim. Com esse elenco, com esse DM lotado, cartolas especialistas em atletas meia-boca, com um presidente que não entende de futebol, por uma campanha que já repete a de 2011, o ano da queda, enfim, levantemos as mãos pela graça de ter feito parte da série A de 2015.
Embora esse blog jamais tenha se prestado a ser o arauto da autoajuda, das doses diárias de "mentiras necessárias" para manter a mobilização ou a saída auxiliar das mazelas protagonizadas pelos dirigentes, vejo o Avaí com totais condições de reverter a fase ruim e lutar palmo a palmo com os demais adversários contra o rebaixamento ((na parte debaixo da tabela, sejamos francos).
Ainda que esse time não seja o gás da Coca-Cola, não seja um daqueles de outros tempos onde a garra vertia pelos poros, ainda assim não vejo tecnicamente inferior ao Vasco, Joinville, Coritiba e Goiás. E tudo leva a crer que esses cinco de hoje (Avaí incluso) estão na berlinda.
Dizer que a responsabilidade é da torcida é uma covardia, é reeditar a ideia culpa participativa (?) implantada pelos Jesuítas na Terra de Vera Cruz. Isso não cola mais. Agora é com a comissão técnica, jogadores e dirigentes, que devem mostrar que podem contar com a confiança da nação azurra. O Avaí não é um clube de zumbis, portanto, façam correr sangue nessas veias!

Nenhum comentário:

Postar um comentário