Pelo fim da fase pisca-alerta

|
Como comentado ontem no blog, a irregularidade do Avaí é um dos fatores que mais atrapalham para que a engrenagem da confiança se estabeleça no Sul da Ilha. Conclusão óbvia, por sinal, já que num campeonato de pontos corridos é a continuidade de rendimento que separa os homens dos meninos, o sentimento de "eu posso" não poderia estar encarnado no microcosmo azurra.
A equipe vem de uma sequência tipo pisca-alerta, hora com momentos de inspiração e superação, hora com uma fragilidade desorientada. Venceu o Flu por 1x0, amarelou para a Ponte num 0x2, derrota normal de 1x2 para o Curíntia, veio o sacode de 5x2 para o Santos, assombrou os deuses do futebol metendo 3x0 no Inter e ontisdonti fechou a montanha-russa nos 3x0 tomados do Fla.
Pela frente o Avaí tem uma sequência capaz de produzir pontos preciosos e necessários para sair e, quem sabe, se afastar da zona de rebaixamento. Pega o Coxa na Ressacada, o Galo em Béozonte, o Goiás aqui e o time do Wilfredo no Estreito. Talvez excesso de otimismo, mas nove pontos ganhos nestes 12 não seria nada de anormal. Seria um bom começo para o fim do acende-apaga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário