Avaí, de primeira

|
Avaí planeja usar jogadores das categorias de base - Para evitar na próxima temporada os atrasos de salário que voltaram a se repetir em 2015, o Avaí traça algumas alternativas. A expectativa é que em 2016 os vencimentos sejam mantidos em dia e a busca é por uma capitalização diferente, uma vez que com o rebaixamento para a Série B a verba azurra é menor.
As categorias de base recebem nesse momento uma atenção especial. É a partir dela que o presidente Nilton Macedo Machado consegue enxergar o futuro do clube. Tanto em campo quanto na parte financeira, oriunda das negociações.
- São duas coisas interessantes. No clube não está boa, mas ainda está viável. O Avaí tem um nome, que é um patrimônio tangível e que é viável, um grande número de atletas das categorias de base. Tivemos na Série A, 13 atletas que integram o time profissional. É esse patrimônio que estamos trabalhando. E é o produto dessas negociações que vamos tirar o Avaí na situação deste momento.
Os pagtos de 2015 ainda estão em aberto. O último mês acertado foi o de agosto, mas Nilton garante que a situação será resolvida e faz questão de frisar outras possibilidades de se buscar capital.
- Todos receberão tudo que é de direito e não teremos nenhuma reclamatória trabalhista sobre este assunto, todos vão receber. Nós temos além da cota da TV, que é menor, nós temos patrocínios e no ano passado não fechamos o master, mas estamos antecipando as negociações pata tentar esse patrocínios. Temos os sócios e negociações dos atletas profissionais, da categoria de base e dos profissionais. Não existe nenhum mecenas, nenhum presidente que irá pagar suas contas no Avaí. Se faltar dinheiro, nós vamos arrumar no mercado de atleta, em negociações (...). via Diário Catarinense

Nenhum comentário:

Postar um comentário