Avaí, de primeira

|
Entrevista-desabafo do goleiro Vagner - "Quero pedir desculpa, a gente lutou o ano todo. Eles viram que a gente sofreu lá, nosso campo quem foi viu que muitas vezes não tinha condição de jogo, não tinha condição de trabalhar. Nossos campos de treinamento ficavam com lama até o meio da canela, foi muita chuva, e muitas vezes havia troca em cima do treino para outros lugares." 
"A gente colheu o que plantou" - "Muitas vezes a gente não entende o que acontece na nossa vida, mas é levantar a cabeça que foi um grupo de guerreiro, lutou até o último minuto para tentar deixar esse clube na Série A. Recebemos carinho dos funcionários, dos torcedores, mas infelizmente o ano que vem o Avaí vai ter que jogar a Série B e brigar para subir. O Avaí merece estar na Série A."
Dificuldades de clubes menores - "Os clubes grandes já estão muito endividados, todo mundo sabe a realidade do futebol brasileiro, que dirá os clubes pequenos. Muitas vezes o dinheiro que entra de cota de televisão, de tudo, é para pagar dívida atrasada. Muito difícil conseguir mexer nos gramados e fazer melhorias. Não conseguiu nem bancar salário em dia, imagina como vai ter melhoria em centro de treinamento. Futebol dos times pequenos hoje em dia está largado." via Globo Esporte

2 comentários:

Gilberto disse...

Essa entrevista do Vagner é emblemática sobre o Avaí. Tanto que o blog deveria disponibilizar o link para ser acessada, pois o impacto é bem maior do que a simples transcrição (fica a sugestão). O fato é que a entrevista expõe a incompetência e o amadorismo de um grupo que administra o clube há mais de uma década e não consegue perceber os próprios erros. Pior: prefere desprezar os críticos e desconsiderar os questionadores. O resultado é isso aí que estamos vendo: um clube falido, sem qualquer rumo e sem qualquer perspectiva, embora tenha arrecadado mais de R$ 30 milhões em 2015. Triste. Vergonhoso. Lamentável.

O lado positivo da entrevista do Vagner é que a mensagem que ele deixa é para ajudar o clube, para evidenciar que profissionalismo e competência são essenciais para qualquer clube de Série A. Estou triste em constatar que a situação do Avaí é bem pior do que imaginava, mas aliviado porque há anos, muitos anos, alguns avaianos (entre eles, eu) alertam para essa incompetência e essa falta de comprometimento com o Avaí. E somos chamados de "corneteiros".

Ao contrário do que se pensa, os "corneteiros" hoje estão bem mais tristes do que os avaianos "amigos", porque nós alertamos, chamamos a atenção e "gritamos" em busca de um Avaí melhor, organizado, profissional, sem jamais pedir algo em troca. Não sou e nunca fui empregado ou colaborador do Avaí. Nunca recebi R$ 1,00 do clube e nem quero. Minha única intenção é alertar, é "gritar", é tentar ajudar com ideias, exatamente como penso ser o propósito principal desse blog.

Já passou da hora de o presidente cercar-se de profissionais competentes, especialistas na área em que trabalham. Com preferência para avaianos. Chega de ouvir elogios de puxa-sacos. Puxa-saco e, ao mesmo tempo, torcedor do rival não vão ajudar o Avaí em nada. Torcedor de verdade é aquele que chama a atenção e critica quando suspeita que há algo errado, perigoso... Estes têm valor. Aqueles que sempre concordam com tudo, aplaudem tudo e elogiam tudo podem até não fazer por mal, mas é bom ter cuidado. Vagner é mais um que está alertando. Tomara que aprendam.

Gerson Santos disse...

GILBERTO, sempre que aparecer um "negrito azul sublinhado" no texto, esse é o link original da matéria. Basta clicar em cima dele e acessar.

Postar um comentário