Avaí, de primeira

|
Críticas à direção do Avaí naSporTV  - O Avaí confirmou a queda para a Série B ao empatar com o Corinthians, fora de casa, em 1 a 1. Com o resultado, o Leão da Ilha terminou o Brasileirão na 17ª posição. Após a partida o goleiro Vagner deu um depoimento emocionado (assista aqui) sobre o ano do time da Ressacada, que vive crise financeira e tem salários atrasados desde agosto.
No "Seleção SporTV" a mesa de comentaristas analisou as declarações do goleiro de 22 anos, sobre a situação financeira e o rebaixamento do Avaí. O jornalista Paulo Massini, da Rádio CBN, reconheceu a luta do elenco, mas disse que o clube precisa de planejamento.
- O Avaí tem um grupo e tanto nas mãos. Os caras correram, brigaram, lutaram, mas não deu. Se o Avaí pensar: "Precisamos de quanto tempo para pagar tudo isso? Dois anos?". Vai disputar uma Série B honestamente mesmo que não dê para subir e depois em 2017, começa a pensar em fazer algum investimento. Você não pode ter um time da Série A que treina com lama até a canela.
Já na visão de Carlos Eduardo Lino, comentarista do SporTV, a morte do presidente João Nilson Zunino, no fim de 2014. afetou o planejamento do Avaí, que perdeu um de seus líderes.
- Eu conversei com um membro da comissão técnica do Avaí, que me falou uma coisa muito curiosa. Ele disse que toda reunião que eles fazem no clube, a sensação é de que todo mundo fica olhando para a porta, esperando a hora que o presidente Zunino vai voltar, entrar e resolver as coisas. Ele morreu faz um ano. O Avaí, depois da perda do presidente que era o grande líder desse projeto da Série A, não conseguiu se encontrar. O Avaí se perdeu muito nisso. via SporTV

Nenhum comentário:

Postar um comentário