Pegando gerente de futebol à unha

|
Não é pequena a angústia do torcedor avaiano diante de mais um final de temporada melancólico. Não é de hoje que o amadorismo e a irresponsabilidade financeira são a "marca registrada" dos cartolas a Ressacada, mas esses últimos dois anos foram em ritmo de superação em ritmo galopante.
Enquanto os demais clubes de SC (nem vamos falar de Brasil) estão a todo vapor no mercado buscando formatar seus planteis para 2016, inclusive com anúncios de contratações já efetuadas, Nilton Macedo e seus muitos assessores pouco afeitos ao conhecimento dos rudimentos do futebol, sequer conseguiram seduzir um profissional que se encarregue dessa missão.
De forma humilhante, o limitado Sérgio Ramirez disse não ao convite. Eduardo Costa, um absoluto cabaço, viu o tamanho da encrenca e também deitou o cabelo. Júlio Rondinelli foi aventado como "o cara", mas o bom senso falou mais alto e a cartolagem desistiu dessa ideia natimorta.
Continuando com o rosário de constrangimentos institucionais, um profissional desconhecido de Goiás também rejeitou a honraria, seguido por Geninho, um dos maiores responsáveis pelos desastres hoje colhidos, cortejado pelo Amado mas que também o dispensou. Quem aceitará ser o kamikaze azurra, ainda não sabemos, mas com tanta coisa errada, terá que ser pego à unha. Foto Cristiano Estrela

3 comentários:

Gilberto disse...

Essa incompetência, convenhamos, nós já nos acostumamos. O importante agora era saber como foi gasto os R$ 30 milhões arrecadados em 2015, já que os salários atrasaram a partir de setembro. Seria fundamental saber onde essa fortuna foi investida. A julgar pela qualidade técnica, no futebol não deve ter sido. Mas Deus o livre de o Conselho Deliberativo questionar isso. Afinal, o nosso presidente não pode ser questionado.

Unknown disse...

Joao Carlos Dias

Luciano Ludwig disse...

Bota o Miguelito!! Manja muito.

Postar um comentário