"Teve jogador que pediu R$ 50"

|
Palavras de Anderson Lopes: "O fora do campo influencia muito. Todo mundo estava focado no objetivo e dentro de campo não faltou empenho, raça, dedicação. Mas a bola bate na trave por causa disso. Teve jogador que pediu 50 reais emprestado para o colega para comprar fralda para o filho. Fica a pergunta. A gente merecia, mas será que o Avaí merecia? Quando a gente entra em campo esquece os problemas, as dificuldades, a dificuldade, mas fora dali só nós sabemos o que passamos. Não podemos sair com a família para jantar e sermos chamados de mercenários. Mas só os atletas sabem o que a gente passa. Que fique claro, da nossa parte não faltou raça, dedicação, mas não conseguimos." Foto Mafalda Press - Matéria via Globo Esporte

4 comentários:

guilherme disse...

Muito marrento para quem está em começo de carreira

Boto disse...

Faltou qualidade.
Cambada de pereba.
Agora, q fique claro q não concordo com o atraso do pagamento de maneira alguma. O que os caras são ruims em campo, a diretoria é pior na décima potência.

Planalto Artefatos de Madeira disse...

Fica a pergunta.
Ta certo que os salários devem serem pagos no dia em que está acertado, que todos que trabalham tem direito de receber (R$) pelo serviço, mais dizer que pediu R$ 50,00 para comprar fralda é demais.
Uma folha salarial beirando 2 milhões de reais, se não for mais, que com certeza os que ganham menos dos que já estavam no profissional desde o acesso do Avaí em 2014, deveriam ganhar uns R$ 10.000,00 no mínimo, torram o dinheiro muito rápido.
O problema dos salários atrasados é incompetência da diretoria, mais tem culpa dos jogadores também pois se jogassem com garra desde que começou o Campeonato e depois da notícia do atraso salarial, estariam com o salário no bolso com a cota de TV adiantada, mais não, agora colocam toda a culpa na instituição, mais não veem que a culpa também é dos mesmos, que não se doaram quando a instituição mais precisava e amargam hoje um rebaixamento no currículo e a espera dos atrasados.
Att. Arnon Guilherme.

Rafael disse...

A Diretoria já deveria ter aprendido a lição em 2013, ou seja, se atrasar salário, adeus. Se isso é correto ou ético é uma outra discussão. O fato é que, vou repetir, atrasou salário, um abraço. Em 2013, a lição foi muito mais didática e a sacanagem muito maior.
Se a regra do jogo é essa, então cabe a Diretoria se adaptar, ou então pede pra sair. O que é inaceitável são os caras saber como funciona o jogo, arrecadar cerca de R$ 30 milhões e, em setembro, o salário começar a atrasar. Isso é que não dá. E se com todo esse dinheiro a Diretoria conseguiu a proeza de atrasar salário, imagina em 2016. Se isso não for incompetência, é algo bem pior. Espero que seja apenas incompetência, mas o atuante Conselho Deliberativo deveria questionar o planejamento financeiro. É o mínimo a fazer.

Postar um comentário