O que estão fazendo com esta paixão?

|
"A CBF do jeito que está (ou do jeito que sempre foi); a disputa escrota de Del Neros, Feldmans, Delfins e imbecis como o tal coronel; o futebol carioca com seus Euricos da vida pagando de relevante; o poder da TV minando qualquer tentativa de mudança e sempre agarrada no saco dos mesmos times; a Seleção Brasileira virada numa 25 de março da bola.
As torcidas organizadas fazendo merda e sem punição (cadê os caras que mataram o João Grah?); jogador sub-qualquer coisa já pagando de mala; e um clube - o meu - que não honra seus compromissos (e espera que a torcida continue pagando sua mensalidade e coloque o clube acima das pessoas), fora a incompetência generalizada, o cabide de emprego e a falta de tato para fazer pelo menos uma gestão decente. Uma "casa arrumadinha", como diz o outro.
Por essas e outras, larguei. O futebol faliu. Morreu e esqueceram de enterrar. Estou deixando de ser sócio do Avaí a partir deste mês porque prefiro investir meu dinheiro melhor - em saúde, em outros prazeres com minha família. O dinheiro está muito caro para todo mês entregar 180 pilas para quem está mostrando ser incompetente para gerenciar esse e outros recursos. De quem é o Avaí, afinal?
Futebol é alegria e tristeza. No momento, é só tristeza e não falo de resultado em campo. Ganhar, perder, subir, descer, é do jogo. Falo de gestão, de respeito à inteligência do torcedor, de respeito ao nome e à histórica do clube (no momento, motivo de chacota). Em nenhuma esfera, quem realmente gosta de futebol está sendo respeitado. Não sou e nunca fui do time dos torcedores cegos de paixão. Sou apaixonado pelo meu time (e disso não tem como pedir cancelamento), mas pra burro não sirvo.
P.S.: E o mais irônico disso tudo é que o último texto de ficção que escrevi - uma história infantil, ainda não publicada - é sobre a relação de pai com filho que está crescendo e querendo jogar bola em tudo quanto é canto do apartamento. E o pai vai lembrando da infância que teve onde qualquer lugar era lugar de jogar bola e pensar que era o craque do time do coração. É de pensar: o que estão fazendo com esta paixão?" Por Alexandre Gonçalves via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário