Os primeiros passos de Gonçalves

|
Depois da negativa de Sérgio Ramirez, da desistência de Eduardo Costa, da rápida ideia por Júlio Rondinelli, do não de um desconhecido de Goiás e do "nem pensar" de Geninho, finalmente Gonçalves topou debutar como cartola na função de Diretor de Esportes do Avaí. Desde sua posse em 22 de dezembro passado, acumula três tiros bem dados e duas  "barrigadas".
A pontaria foi certeira nas contratações do goleiro Renan, do zagueiro João Filipe e do atacante Lucas Fernandes. As pequenas mancadas foram anunciar o pré-contrato com o goleiro Ivan, indesejado pela maioria dos torcedores avaianos e fugido para o Goiás, e manter em seu perfil pessoal no Twitter uma camisa alvinegra. Isso que tem MBA em Gestão e Marketing Esportivo.
No mais, terá que se virar para convencer atletas de qualidades minimamente aceitáveis para uma série B a virem para um clube que há alguns anos tem em seu DNA os atrasos salariais. Mantendo-se o mesmo padrão administrativo de 2015, o reduzido orçamento de R$ 21 milhões para essa temporada também deverá durar até agosto. Ou será que a ficha caiu para o Amado?

Um comentário:

Gilberto disse...

Gerson, o orçamento de R$ 21 milhões foi apresentado pela Diretoria na última reunião do Conselho Deliberativo, mas você sabe como se chegou a esse valor? Pergunto porque considerando os R$ 5 milhões da Série B, restam R$ 16 milhões, e sinceramente não sei como a Diretoria vai arrecadar esse valor em 2016. Patrocínios? Pagamento das mensalidades? Renda dos jogos? Convenhamos: é difícil conseguir arrecadar R$ 16 milhões em um ano tão complicado para o Avaí. Seria bom explicitar esse assunto, até para melhorar a transparência do clube. Fica a sugestão.

Postar um comentário