Coletiva pós-jogo de Raul Cabral

|
Cuidados com Dudu, crescimento no 2° tempo - "Sabíamos que o Figueirense viria assim. O Eutrópio utiliza jogadores abertos e sabíamos que os atletas têm o um contra um muito bem. Ele disputou muito com o Renato e ele é rápido, se você não tem cobertura próxima, ele vai causar perigo. Sofremos com isso com a Chapecoense e no intervalo conseguimos corrigir isso. Aproximamos volante e zagueiro para ele ter menos espaço, e o Figueirense ficou restrito ao contra-ataque."
Usar o clássico para embalar no returno - "Uma vitória dessa magnitude te traz confiança, a torcida para próximo. E temos batido na tecla de Avaí como time da raça. Tem que lutar, brigar, mas jogar futebol. Foi a primeira chance do torcedor nos reencontrar na temporada em casa."
Penalidades não marcadas - "Eu tenho evitado falar da arbitragem. Tive um problema em relação a isso. O Ronan tentou controlar o jogo, é difícil ser apitado, teve lances polêmicos. Mas não podemos nos pautar apenas nisso."
Análise do 1° turno - "Temos evoluído gradativamente. Em alguns momentos temos oscilado, como esperávamos que iria acontecer. Tivemos erros individuais em alguns momentos, mas hoje fizemos um bom jogo. Tivemos mais consistência defensiva. Corremos alguns riscos por qualidade do Figueirense também. Ofensivamente temos criado e temos mais duas partidas para chegar numa consistência de equipe para buscar alguma coisa na segunda parte do campeonato. Com confiança, os atletas mais soltos, eu creio que podemos evoluir no segundo turno e brigar por algo a mais."
William decisivo - "Uma coisa que esse grupo tem de especial é não ter vaidade. Mesmo um atleta como o William, uma liderança, idolatrado pela torcida, ele se coloca no nível dos demais. E isso é importante, ele puxa os mais jovens para uma situação melhor. É um líder positivo. O grupo tem trabalhado de uma maneira unida, vencendo ou perdendo. O William incorporou isso muito bem."
O que precisa melhorar - "Em relação à maturidade, é que a primeira temporada de um atleta como profissional é normal oscilar. É difícil iniciar a temporada e se manter no mesmo ritmo o tempo inteiro. Importante é ter um controle a muitos não oscilarem dentro da mesma partida, como aconteceu contra o Inter de POA. É importante manter até o fim do turno um equilíbrio para quando alterarmos a equipe, os atletas que entrem possam manter o mesmo ritmo. Precisamos do grupo inteiro. Temos um grupo pequeno e inexperiente, mas qualificado." Raul Cabral via o Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário