Avaí desperdiça chances e perde

|
Com retrospecto ruim no cenário estadual, tendo perdido sete dos últimos oito jogos, o Avaí foi a Cuiabá para tentar mudar a atmosfera ao estrear na Copa do Brasil contra o Operário-MT. O resultado, no entanto, não agradou. A derrota por 1 a 0 agora obrigará a equipe do Sul a vencer por dois gols de diferença para avançar à segunda fase.
O jogo - Fora da disputa do Campeonato Catarinense após campanha medíocre no segundo turno da competição, fase na qual somou apenas uma vitória, o Avaí aposta suas fichas na Copa do Brasil para tentar dar sentido ao primeiro semestre do ano.
O discurso de priorizar o torneio nacional, no entanto, quase começou a ser revisto logo aos quatro minutos, quando um rápido ataque do Operário deixou Araújo em condição de marcar, mas a bola foi para fora. Embalado pela presença da torcida, os donos da casa se lançaram ao ataque e protagonizaram novo lance de perigo aos 24 minutos.
Após Tito assustar o goleiro Renan ao bater por cima, já dentro da área, o Avaí respondeu perto dos 30 minutos. Rômulo viu seu chute bater na trave e Iury, no rebote, obrigar Otávio a testar o reflexo para evitar a abertura do placar. No minuto seguinte, o centroavante William desviou chute de Braga e fez o goleiro do Operário trabalhar novamente.
A reta final do primeiro tempo ganhou em emoção. Após William desperdiçar chance dentro da área, foi a vez de Deivisson puxar contragolpe sozinho e, depois de superar a marcação na velocidade, não conseguir se desvencilhar de Renan, que cobriu o ângulo e praticou a defesa cara a cara.
Aos 42 minutos, no entanto, a insistência do Operário deu resultado. Depois de muito suor, e de ver o Avaí perder grandes chances, Thiago Rômulo aproveitou a boa enfiada de Tito e bateu cruzado na saída de Renan antes de sair em direção à torcida para comemorar.
Segundo tempo - Começou com o Avaí tentando ganhar as divididas para se impor no meio-campo. O jogo brigado logo resultou em cartão para Thiago Rômulo, autor do gol do Operário. Depois de os donos da casa desperdiçarem uma chance no jogo aéreo, William saiu cara a cara com Otávio, aos 15 minutos, e não conseguiu balançar as redes.
Ao trocar Romulo pelo jovem Lucas Fernandes, Silas colocou sangue novo no ataque e apelou ainda mais à ofensividade ao sacar o meia Diego Jardel para a entrada do atacante Tauã. A pressão em cima dos donos da casa aumentou, e o goleiro Otávio foi obrigado a trabalhar para evitar o empate.
Apesar do volume de jogo maior, o Avaí não conseguiu penetrar na defesa do Operário para voltar sem saldo negativo à Florianópolis (SC). O revés agora obriga o Leão da Ilha a vencer, no mínimo, por dois gols de diferença para garantir a vaga. via Gazeta Esportiva

2 comentários:

Guilherme disse...

O time é ruim...
Muito ruim...
Que me desculpem os otimistas mas a série C é uma realidade pra nós já...
Conseguiram, parabéns diretoria...
Guilherme Santos

Pablo Antony disse...

Até quando Avaí?

Teremos que conviver com uma zaga horrível!
Teremos que aturar Victor Costa!
Teremos que ver que Braga e Judson são fraquíssimos!

Que não temos sequer um meia de qualidade! O que pensa que tem é um sono desgraçado!

Que nosso ataque é pifio! Rômulo é muito ruim! Iuri é fraquíssimo e gasta mais energia para fazer mala pra correr e andar do que para jogar! Que o Willian tá mais gordo que o Ronaldo! Que precisa que alguém de pulso chegue na dele e diga... meu filho te dou 15 dias para entrar em forma. Ou então segue tua vida.

Falam mal, mal, mas deve ter muita gente rezando pro Marquinhos voltar de cirurgia. Pois ele sem as duas pernas é muito melhor que qualquer um desse time pífio! Volta Marquinhos!

Volta Renanzinho também! Porque a hora que voltares, sozinho farás melhor que estas duas bestas moles que jogam de volante.

O Avaí não precisa de sete reforços. Precisa de um time inteiro! Ou fazem isso agora, ou voltaremos à decada de 90, à época de série C.

Postar um comentário