Novo presidente busca parcerias

|
A gestão de Francisco Battistotti no Avaí tem desafios. Novo presidente após a renúncia de Nilton Macedo, o antigo vice tenta lidar com a rejeição da torcida e com a necessidade de montar um time competitivo após brigar pelo terceiro ano consecutivo contra o rebaixamento no Catarinense.
O financeiro do clube, contudo, não permite grandes investimentos. Para driblar isso, Battistotti tem buscado parcerias com empresários e outros clubes. Contudo, o mandatário reforça que as decisões de quais jogadores serão contratados vão passar por uma avaliação criteriosa da comissão técnica.
- O que tem que ser feito é uma linha de barreira. O empresário vai botar um atleta no clube que interessa a comissão e quem vai escalar é o treinador. Essa é a visão. Tenho dito a todos os empresários e colaboradores que vêm nos oferecer auxilio que quem vai mandar no clube é o Avaí, e quem vai determinar quem vai vir é a comissão técnica. Tenho bom relacionamento com todos os presidentes dos clubes da primeira liga, e não nego que já fiz contato com alguns pedindo que auxilie o Avaí nessa situação. Eu tinha uma receita de 21 milhões, que caiu para três - contou Battistotti.
Outra situação colocada pelo presidente é a questão do patrocínio. Ponto criticado pela torcida na gestão de Nilton, Battistotti admite a dificuldade de encontrar investidores para a camisa, mas afirmou que, mesmo que com um valor menor, os patrocinadores serão incorporados ao Leão.
- A situação de patrocínio é um pouco difícil em função de vários clubes não terem também. Vários clubes só dependem da Caixa. Eu tive uma reunião com o meu comercial e determinei que não se rejeita patrocínio algum. "Ah, o valor custa 200, mas o cara quer dar 100 mil reais". Eu prefiro ter 100 do que não ter nada. E isso determinei. "O empresário está com tal proposta, mas está em dúvida". Não tem problema, marca onde for. O atendimento é outro." via Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário