Saudades e finanças

|
"Estamos morrendo de saudade de ver o Avaí jogar e amanhã tem, na Ressacada, às 19h15min, contra o Oeste. O time paulista vem em um perde e ganha e está junto com a gente na tabela. Jogo para os de sempre, com mais alguns pela “sequência de não derrotas”, como o Silas adora falar.
Coerência financeira - Reservo um espaço para falar de um assunto de âmbito nacional, mas que também atinge o Avaí. Temos, por aqui, ali e lá, folhas salariais milionárias e dinheiro sendo jogado fora com jogadores que nem utilizados são. É fato que está supervalorizado o salário de jogador no Brasil. Nem assim seguramos os melhores, nem mesmo os medianos, e vemos os outros países sul-americanos fazendo as finais de Libertadores mesmo pagando bem menos.
Estádios e cofres vazios - Com exceção de um ou outro, e infelizmente não é o caso do Avaí, temos times com rendas inferiores ao salário do camisa 5, sem patrocinadores, vivendo de cota de TV e vendas de joias ou bijuterias da base para bancar milhões e milhões em ações trabalhistas passadas e salários surreais. Inadmissível em um país onde falta quase tudo um reserva do volante do vice-lanterna da Série C ganhar uns 10 mil por ter um bom empresário. Erro este que está falindo os clubes e esvaziando os estádios." Filippe Trote via Hora de SC

Nenhum comentário:

Postar um comentário