M10 revela problema salarial

|
A vitória diante do Bragantino colocou o Avaí mais perto do G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro, mas também revelou um problema que o clube azurra passa mais uma vez: os salários atrasados. Em entrevista coletiva, na saída de campo, Marquinhos pediu calma e desabafou sobre a questão salarial. De acordo com o camisa 10, o assunto precisa ser resolvido para o clube continuar com a boa fase na temporada e colher bons frutos lá na frente.
- Questão salarial, tem que resolver isso. O Battistotti, com o seu jeito de não desistir, de ir atrás das parcerias, de patrocinadores. A gente está vendo a dificuldade dele, mas é claro que a vitória não pode apagar que estamos precisando de ajuda. Que o torcedor compre a ideia  compareça como compareceu. Se não der para subir esse ano, ano que vem temos a Série B de novo para brigar para subir. O Avaí é um time que sempre briga. Se tivermos com as condições financeiras equilibradas e no fim do ano não passar aquele sufoco que estamos passado nos dois últimos anos, ou até mesmo com o acesso, sabemos que vamos brigar na frente. Voltamos a ser fortes, a abrir para o mercado e trazer bons jogadores. Não adianta achar que venceu o jogo e está tudo resolvido. É degrau por degrau. Conseguimos sair dessa situação ruim, mas agora manter é o mais difícil.
A última novidade na Ressacada foi acerto com a Caixa Econômica Federal para patrocinar a equipe catarinense até o fim da Segundona deste ano. E a partida contra o Massa Bruta marcou o retorno da parceria. Nas camisas azuis e brancas, os jogadores exibiram a marca - o acordo é de R$ 400 mil até dezembro (R$ 100 mil por mês).
A Caixa volta a ser a patrocinadora master do Avaí depois de pouco mais de dois anos. Entre junho de 2012 e maio de 2014, a empresa foi vinculada ao clube. A partir de novembro, abre-se uma nova janela de negociações. A decisão final depende da definição do planejamento para 2017. via GE

Nenhum comentário:

Postar um comentário