Coletiva pós-jogo de Claudinei Oliveira

|
"Agora mantemos tranquilidade, em um cenário de não brigar para cair, com 10 rodada de antecedência já não corre mais o risco. Agora vamos brigar para manter onde estamos. Tentar vencer o maior número de jogos possíveis, como estamos fazendo. Os jogadores se entregando bastante, não tem nem o que falar... Muita luta, empenho de todos. Usamos 14 jogadores, todos lutaram, correram, se doaram, o Romulo voltou mais que está acostumado porque o jogo pedia isso. Sofremos um pouco, e vamos sofrer mais, torcedor vai sofrer com a gente, mas é assim que vamos conquistar nosso objetivo. Não adianta sair da características, tentar fazer algo mais, jogada de efeito, não. É simplicidade, organização e empenho de todos."
Equilíbrio e organização - "Nossa equipe tem sido muito organizada, mérito dos atletas, mas equilíbrio também cabe. Tem hora que eles vão estar melhor, vamos sofrer, então temos que marcar, o jogo é assim, futebol tem alternâncias. A gente tem que saber conviver: quando está pior, ficar organizado, para não sofrer gols, e quando estiver melhor fazer gols. Finalizamos menos hoje, poderíamos ter finalizado mais, mas o adversário trouxe dificuldade. Tiverem posse de bola boa, mas que não gerou muito dificuldade ao sistema defensivo. Fomos felizes no pênalti, cobrança de falta, e tivemos outras boas chances. Equilibrado, organizado e brigando por todas as bolas."
Sem show - "Tem um ou outro que fica me xingando, mas finjo que não escuto. Tem torcedor que vem para o estádio para ver show, se puder ganhar dando espetáculo, ótimo. Mas quando as coisas estão caminhando de uma forma, não tem por que mudar. Esse mesmo torcedor, na hora de uma caneta errada e contra-ataque, ele é o primeiro a xingar. Hoje o momento é de tentar ganhar todos jogos. Não sofremos pouco no primeiro tempo, sofremos muito, mas suportamos, nos organizamos, mudamos algumas coisas no segundo tempo, mas é isso. A gente entende o torcedor com expectativa de show, mas nossa proposta é essa, ser competitivos e organizados. Tem dado certo, não tem motivo para mudar tudo agora. Vais nos levar aonde dar carretilha, balãozinho, caneta. Então vamos sofrer alguns momentos, mas tivemos bom domínio. E tem uma palavra-chave: controle do jogo. Você controla não só com a bola, sem ela mas se não causar perigo, você está no controle."
Jogo em seguida - "A gente vai ter que descansar. Falei para eles: "Podem se doar porque se precisar descansar sábado e domingo, fazer alguma coisinha só na segunda para jogar na terça, a gente faz". Seria melhor ter uma semana para trabalhar, para colocar algumas coisas, mas fazer parte. Vamos escolher o melhor jeito de jogar contra o Goiás, um time muito qualificado, uma folha salarial alta, com aporte financeira grande, mas se mantivermos a postura de humildade, temos condições de conseguir mais três pontos. Não podemos prometer. Torcedor pode vir, promete empenho e determinação, resultado é consequência do que acontece nos 90 minutos."
Importância de Betão e João Filipe - "João se colocou à disposição, foi um trauma. Betão ficamos mais preocupados porque era muscular. A gente sentiu no começo do jogo que o João estava se poupando para aguentar o jogo inteiro, ainda falei para o Evando, ele precisa ser mais ofensivo, para quebrar linhas, e coincidentemente na primeira vez que fez isso foi o pênalti. Falei para ele não se poupar, a partir dai começou a competir mais, tem drible, metida de bola... Betão voltou, Alemão saiu mancando, mas falou que ia jogar. Quando grupo está unido todo mundo quer participar, se ajudar. Tenho certeza que se ele não jogasse, o Luiz Gustavo entraria bem... Todo mundo remando para o mesmo lado, e esse é o segredo do sucesso, não é só tático. Sem empenho a tática não é nada. Lucas Coelho tá com dores no ombro, ele cai, sente... E não é por vaidade, é para ajudar."
Aproveitamento - "Nenhum clube que você chega acha que vai ganhar tudo e fazer 80% de aproveitamento. Eu não sou irresponsável de dizer isso, prometo que vou lutar em todos jogos, porque esse é nosso trabalho. Não é porque foi aqui no Avaí. Nenhum lugar que eu for vou achar isso. Expectativa é de fazer um bom trabalho, que os jogadores entendam, e brigar pr todas vitórias. Agradeço muito empenho de toda comissão, do Agenello, Joceli, do presidente. Jogadores que estão fazendo acontecer. Agradecer a Deus também, porque não pode esquecer que tem bola no travessão, triscando a trave, e Deus ajuda a quem trabalhar." Claudinei Oliveira via Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário