Marcelinho está empolgado

|
O novo reforço do Avaí desembarca hoje na Ressacada com um passaporte de dar inveja a muitos viajantes. Aos 29 anos, o atacante Marcelinho quer mostrar que, no Brasil, também pode jogar a mesma bola que o tornou conhecido em países periféricos do mundo do futebol, como a Grécia e a Índia. Formado no Flamengo, ele nunca jogou a Série A, mas acredita que, no Leão, terá tudo para cair nas graças do torcedor.
- Eu fiz a minha base no Flamengo. Não tive oportunidade de demonstrar meu valor na equipe profissional. Como sou atleta comunitário (nacionalidade europeia), eu preferi arriscar fora do país. Tive uma passagem muito rápida pela Espanha. Depois eu fui para a Grécia, onde cresci como homem e como jogador. Fiquei, se eu não me engano, cinco ou seis anos lá, minha filha nasceu na Grécia, eu falo grego, tenho muito carinho pela Grécia e foi onde eu tive, praticamente, meu auge na carreira. Depois, fui vendido para os Emirados Árabes.
Antes de assinar com o Leão, o jogador andou bastante pelos clubes do exterior. Na Europa, teve passagens por Espanha, Grécia e Itália. Na Ásia, atuou no Baniyas, dos Emirádos Árabes, e no Delhi Dynamos, seu último clube. Na equipe indiana, jogou ao lado do francês Malouda, contratado para ser o destaque do time. No entanto, foi o brasileiro que atraiu os holofotes e foi considerado o grande craque da equipe, sendo eleito o melhor da competição. Mesmo assim, o atacante garante que o tempo atuando ao lado do astro internacional foi importante para o seu amadurecimento.
- Eu não tenho palavras para descrever o quanto ele é um jogador bom e como pessoa também. Uma pessoa humilde. Um cara extraordinário. Se você fala com ele, é muito aprendizado.
O atleta se define como um jogador ofensivo, que pode desempenhar diferentes papéis no ataque: pelos dois lados do campo ou como um camisa 9 de mobilidade.
- Estou muito feliz com essa confiança que o treinador e o presidente estão depositando em mim. Eu vou chegar na pré-temporada e trabalhar o mais forte possível para estar pronto logo. Tenho certeza que vou arrebentar e que o Avaí vai ter um ano vitorioso. via Diário Catarinense

Nenhum comentário:

Postar um comentário