Coletiva pós-jogo de Claudinei Oliveira

|
"A gente optou por usar uma equipe totalmente diferente. Você troca 11 atletas para enfrentar o Londrina, um time que é muito consistente, tem uma cara, é a cara do Tencati. Os jogadores entendem o modelo de jogo. Eles venceram aqui em Florianópolis na semana passada. E tomamos as decisões para favorecer o Avaí, não tinha penando em números, em perder na derrota. É humanamente impossível repetir escalações na terça e na quinta, já tinha vivido isso com o Santos. Optamos por priorizar o estadual e dar uma rodagem aos que vinham merecendo uma chance. Estou satisfeito de um modo geral, no segundo tempo sentimos um pouco a perna. Mas temos que ver pontos positivos, sete jogadores formados na base, então demos oportunidades, mas foi um bom jogo. O que podemos falar de negativo foi que a Federação Paranaense mudou o jogo do Londrina, para estarem com os times completos, e a Federação Catarinense não mudou, então priorizamos o estadual." 
Estreia de Douglas - "Ele veio bem dentro do que a gente espera. Errou algumas reposições de jogo, mas era normal. Conversamos com ele, estava à disposição para ganhar ritmo, teve uma lesão no ano ano passado, mas foi muito bem, boas defesas. Todos corresponderam de alguma maneira, tecnicamente ou taticamente. Quinta-feira joga o Maurício, normalmente, ele foi bem em Criciúma. Mas o Douglas mostrou que está apto a jogar e nos dá tranquilidade."
Lucas de Sá como volante - "Começamos o jogo no 4-1-4-1, com ele e o Caio de interior.Como eles estavam com muitos atletas flutuando, eu recuei o Lucas e eu o vejo com muita qualidade, mas ainda não está pronto fisicamente. Tem um bom passe, uma visão, a posição ideal dele, de frente, municiando os atacantes e com uma boa finalização de meia distância, até como foi um pouco o João Filipe do ano passado, esse volante que chega."
Confronto com o Metrô - "A nossa forma de jogar está definida, mas é lógico que quando você muda muitos de uma vez, sente um pouco. O jogador que está com ritmo tem mais referência em campo e esperamos o mesmo desempenho. Nossa característica é essa, mas se o Metropolitano recuar, vamos propor o jogo. E não só o Avaí tem dificuldade disso, a questão do último passe. Se você pega uma equipe organizada, tem dificuldade para criar. Quinta é outro jogo, não sabemos a dificuldade que vão nos proporcionar. Vamos analisar, ver a melhor maneira de enfrentá-los."
Júnior Dutra como titular? - "Esperamos que a médio prazo ele possa ser titular. Chegou com déficit de preparação e usamos ele contra o Criciúma, usamos de novo. É um jogador diferente, segura a bola na frente, dá condição de desafogar. É um jogador que compete o tempo todo. Mas não vamos arrumar lugar no time para ninguém, se outro der brecha, ele vai entrar. É um atleta que veio com peso de ser titular e quando estiver em condições melhores que os outros, pode assumir."
Contratações de zagueiro e lateral esquerdo - "A ideia é fazer o estadual com esse grupo. A saída do Gabriel poderia fazer a necessidade de um zagueiro, mas o Maurício foi bem. Interessante usar a Primeira Liga para isso, com essas peças para analisarmos as necessidades. Na esquerda temos o Capa, o João Paulo, o Leandro Silva e o Maurício podem fazer. Na zaga, com o problema do Gabriel e a possível lesão do Gustavo, vamos vendo. Não é que não queremos ser campeões, mas não adianta contratar 30 jogadores e chegar em julho e não conseguir pagar ninguém." via GE

Nenhum comentário:

Postar um comentário